lpm-peugeot-3008-800x100
Lambidelas a clientes e ladrar ao carteiro são funções para o Ricky | Região de Leiria

Lambidelas a clientes e ladrar ao carteiro são funções para o Ricky

Na Artmadesign, em Leiria, todos sabem quando chega o carteiro. Ricky, um labrador preto, de três anos, faz questão de avisar. “Tem um ladrar inconfundível e uma agitação fora do comum. Tentámos mas ainda não conseguimos alterar este comportamento”, explica Vítor Jorge, art diretor da agência de comunicação e um dos donos do animal.

Com 18 anos de atividade e o gosto pelas causas animais, desde a fundação da Artmadesing que os animais fazem parte “da família da empresa”.

Ricky e a equipa da Artmadesign

Ricky e a equipa da Artmadesign

O primeiro foi o rafeiro Rúbio, com pelo cerdoso, que conviveu diariamente com os funcionários durante 14 anos. Rex, outro rafeiro, fez companhia ao Rúbio e a toda a equipa durante seis anos.

Atualmente é o Ricky que ocupa o lugar de patudo na empresa. O nome, também começado por “R”, não é coincidência.

Foi oferecido por um dos vizinhos da agência. Era o mais pequeno da ninhada, com metade do tamanho dos seus irmãos, mas muito destemido, lembra o responsável. Por isso, não tem receio em correr “incansável” atrás de uma bola.

É, no entanto, com Cláudia Jorge, a dona, que Ricky tem mais proximidade. Acompanha-a entre as 9 horas e as 19 horas, de segunda a sexta-feira, junto à secretária mas corre livremente pelo escritório para brindar todos com lambidelas. E é Cláudia Jorge quem o consegue colocar a fazer “as melhores demonstrações de inteligência canina: senta, deita, fica, junto, pega, larga, roda, +5, morto,...”, além de o levar a passear, correr e alimentar.

Já com os clientes, o cão “é afável, fica contente e só quer festas”.

“Com o Ricky temos sempre ao nosso lado um ‘poço’ de energia e muito boa disposição. É impossível ficar indiferente (...). Por outro lado. o exemplo e a mensagem que passamos a quem nos rodeia é uma forma de como devemos tratar os animais e podemos ser ainda mais felizes”, defende Vítor Jorge.

Membro da família
Atualmente, Ricky tem 3 anos de idade e uma “barba” branca que faz inveja ao pai Natal. “Achamos que é um cão feliz. Que torna os donos mais felizes e quem convive com ele. O Ricky é o máximo. Muito ‘social’, adora crianças e é super meigo. É mesmo da família”, refere Vítor Jorge, ou melhor da empresa.

Para João Sousa, psicólogo, uma das maiores vantagens na presença de um animal no local de trabalho é uma “maior troca de partilhas de experiências”. “Tendemos, maioritariamente, a nos identificar com pessoas que tenham os mesmos interesses que nós”, explica.

E se algum colaborador não gostar ou se mostrar disponível para cuidar do animal? “Esta será talvez a questão mais pertinente e que mais polémica pode gerar, Uma grande parte da população portuguesa tem um animal doméstico.

No entanto, há pessoas que não fazem questão de o ter. A integração de todos os funcionários nestas atividades deverá ser feita de forma livre e com uma vertente pedagógica, ou seja, através destas atividades promover competências de responsabilidade, compromisso, companheirismo e interajuda”, explica.

Marina Guerra
marina.guerra@regiaodeleiria.pt

Deixe um comentário

DDinis-MREC-14-03_curso-intensivo

Pergunta da Semana

A vinda do papa Francisco a Fátima justifica uma decisão do Governo em dar tolerância de ponto no dia 12 de maio?

Loading ... Loading ...
Fwd:
Twitter RSS

Escreva-nos

foxyform
Região de Leiria
Newsletter Powered By : XYZScripts.com