lpm-peugeot-3008-800x100
Dança | Região de Leiria

Margarita Fernandes e António Casalinho brilham em Itália

António Casalinho e Margarita Fernandes, da Academia Annarella, de Leiria, brilharam bem alto em Itália, no International Ballet and Contemporary Dance Competition Domenico Modugno, em Lecce, Itália. Continuar a ler

Arquivado em Cultura, Dança, Destaque, Notícias0 Comentários

Agenda: As luzes vão brilhar neste Natal

A única árvore de Natal flutuante na Europa, uma vela feita em paletes, pelo menos três pistas de gelo, cinco mil metros de luzes led e uma viagem ao mundo encantado dos livros infantis são algumas das sugestões das autarquias e associações comerciais da região de Leiria para a quadra festiva que começa a invadir as casas e ruas de todo o distrito.

Continuar a ler

Arquivado em Cultura, Dança, Música, Notícias, Sociedade, Teatro0 Comentários

Bailarinos do Conservatório Annarella conquistam prémios e o júri do YAGP Paris

Parecia ser impossível fazer melhor do que nos anos anteriores, mas os bailarinos de Annarella voltaram a arrasar no Youth America Grand Prix (YAGP), o maior concurso mundial de dança jovem. Continuar a ler

Arquivado em Cultura, Dança, Destaque0 Comentários

Clube especializado em kizomba abre este sábado em Leiria

Uma lufada de ar fresco nas pistas de dança. É assim que Paulo Alecrim descreve Kizomba Dance Club, um novo espaço de diversão noturna de Leiria, que abre este sábado, 1 de outubro. Continuar a ler

Arquivado em Dança, Notícias0 Comentários

Escola de Dança Diogo de Carvalho comemora uma década

É em plena Praça Rodrigues Lobo, no centro de Leiria, que a Escola de Dança Diogo de Carvalho promove este sábado, dia 24 de setembro, um espetáculo que dá início às comemorações de uma década de existência. Continuar a ler

Arquivado em Dança, Notícias0 Comentários

Festival de Setembro. À descoberta da tradição judaica de Ourém

“Houve sinagoga em Ourém!”. A exclamação é ponto de partida para a caça ao tesouro da manhã de domingo, 11 de setembro, no Festival de Setembro 2016. Pelo segundo ano, a Câmara de Ourém aposta em projetar a vila medieval através de um programa cultural preparado a partir da história, património e tradições locais.

Depois de surpreender em 2015, atraindo uma multidão de espectadores, nesta segunda edição, a diáspora e cultura judaicas dão forma ao festival, explorando a herança deixada por ali no século XV. E será que houve mesmo sinagoga em Ourém ou a caça não vai ter sucesso? “É possível que tenha existido uma pequena sinagoga”, conta-nos o historiador Saul António Gomes. “Depois da expulsão de 1496”, sublinha, “nos tempos dos cristãos-novos, qualquer sala ou divisão onde se reunissem alguns judeus para oração poderia ser chamada de ‘sinagoga’, não pelo espaço físico, mas pela congregação dos crentes, justamente em oração”.

Não há documentos que comprovem a existência da sinagoga, mas a Câmara vai adquirir um terreno onde se crê existirem vestígios dela.

Segundo Saul António Gomes - que vai dar uma palestra sobre o tema no festival -, “a presença judaica em terras de Ourém só se documenta tardiamente”. Em 1442, viviam em Ourém os judeus Moisés Levi, sapateiro, José de Castro, marceneiro e Isaac Marcos, tecelão.

Nesse mesmo ano, vivia em Torres Novas um Isaac de Ourém. “São sinais tímidos que apontam para uma pequena comunidade judaica na vila. Não houve propriamente judiaria”, adianta. Os judeus habitavam sobretudo uma rua por detrás da atual pousada.

“Em 1478, habitava na vila um mestre Meir Aben Haim, casado com a judia Formosa”, diz ainda, lembrando que, “no condado, os judeus habitavam também em Porto de Mós onde, cerca de 1480, procuravam abrir uma pequena sinagoga”. A expulsão dos judeus de Espanha, em 1492, trouxe muitas novas famílias israelitas à região, “engrossando os rendimentos dos senhores em cujas terras moravam”.

Outra prova dessa herança é a bela capela mortuária do IV Conde de Ourém. Saul António Gomes garante que “é seguramente da mesma oficina de construção arquitetónica da sinagoga de Tomar, testemunho, pois, de uma nova maneira de planificar, construir e decorar coerente com os horizontes culturais judaicos”.

São esses sinais que o Festival de Setembro vai avivar em 2016, através de iniciativas diversas. A vila medieval receberá cenografia especial inspirada na cultura judaica e um programa recheado dará vida, cor e sabor a este fim de semana.

Entre as diversas propostas há concertos, dança, cinema, literatura, conferências, gastronomia e visitas guiadas. À música sefardita nas ruas juntam-se as danças. E até os restaurantes se juntam à festa, servindo gastronomia de inspiração judaica.

A capela mortuária do IV Conde de Ourém é um dos sinais da presença judaica na vila medieval Foto: Joaquim Dâmaso

A capela mortuária do IV Conde de Ourém é um dos sinais da presença judaica na vila medieval (fotografia: Joaquim Dâmaso)

 

Programa

10 de setembro, sábado
A visita encenada à cripta do Conde de Ourém (11h) marca o arranque do festival. Na abertura oficial (15h) há sabores de inspiração judaica e música de Drama e Beiço, que vão animar a vila ao longo do dia. Saul António Gomes, Carlos Veloso e Gabriela J. Benner proferem conferências sobre a herança judaica na Galeria da Vila Medieval (15h30). No largo do Pelourinho atua a Associação Filarmónica 1.º de Dezembro (17h15). O festival prossegue com “Judaica, Mostra de Cinema e Cultura” (17h30) na galeria. Danças tradicionais da Europa animam o Largo da Colegiada (18h30), onde também toca a Sociedade Filarmónica Ouriense (30h). Melech Mechaya (22h) e Pás de Problème (23h30) dão música ao Castelo no fim do primeiro dia.

11 de setembro, domingo
O dia começa a andar, com o circuito “As vinhas do Vale das Silveiras” (9h30). No Largo da Colegiada há um desafio (10h): caça ao tesouro “Houve sinagoga em Ourém!”. Ao almoço (12h) servem-se sabores de inspiração judaica. No Castelo, Arabesque apresenta dança contemporânea “Diáspora e cultura judaica” (15h). Na Pousada é lançado o livro “A Inquisição em Ourém”, de Jorge Martins (16h). Ali também fala o presidente da direção da Comunidade Israelita de Lisboa, Gabriel Steinhardt. Ao longo da tarde há música de AMBO, As Louçanas, Ourearte e também há danças tradicionais da Europa, além da mostra “Judaica”. O festival termina com concerto de Rodrigo Leão (na foto) no Castelo (21h30).

Programa detalhado disponível aqui.

Como chegar à vila medieval

Devido ao festival, o acesso de automóvel à vila medieval será condicionado durante o fim de semana. Como alternativa, o município criou uma alternativa: os visitantes devem estacionar na cidade, de onde será assegurado uma ligação de autocarro até ao festival.

A partida do serviço de transfer será no Mercado Municipal Manuel Prazeres Durão (junto do Centro de Negócios) até ao Largo da Colegiada, pelas Portas da Vila.

14258164_1173680759372455_9092441357334579287_o

ML

(Notícia publicada na edição de 8 de stembro de 2016)

Arquivado em Cultura, Dança, Destaque, Música, Notícias0 Comentários

Meia Maratona de Teatro do grupo Apollo completa uma década de vida

Música, dança, cinema e muito teatro recheiam o programa de três dias da 10ª Meia Maratona do grupo Apollo, que se reparte por Pêras Ruivas e Ourém. Continuar a ler

Arquivado em Cultura, Dança, Música, Notícias, Teatro0 Comentários

“Ópera na Prisão” e também na Gulbenkian esta quinta-feira

Um grupo de reclusos do Estabelecimento Prisional de Leiria (Jovens) vai interpretar a ópera "Don Giovanni", esta quinta-feira, 30 de junho, com acompanhamento da Orquestra Gulbenkian, na sede da Fundação Gulbenkian, em Lisboa, no quadro de um projeto de reintegração da Sociedade Artística e Musical dos Pousos (SAMP). Continuar a ler

Arquivado em Cultura, Dança, Destaque, Música, Notícias, Sociedade, Vídeos0 Comentários

DDinis-MREC-14-03_curso-intensivo

Pergunta da Semana

A vinda do papa Francisco a Fátima justifica uma decisão do Governo em dar tolerância de ponto no dia 12 de maio?

Loading ... Loading ...
Fwd:
Twitter RSS

Escreva-nos

foxyform
Região de Leiria
Newsletter Powered By : XYZScripts.com