Assinar
Cantinho dos Bichos

Combater o cio dos gatos com um método eficaz

O drama regressa. Os felinos começam a revelar os primeiros sintomas de cio. O que fazer? As soluções passam por dar a pílula às “meninas” ou a esterilizar machos e fêmeas.

O drama regressa. Os felinos começam a revelar os primeiros sintomas de cio. O que fazer? As soluções passam por dar a pílula às “meninas” ou a esterilizar machos e fêmeas.

Alguns donos preferem a primeira opção. Outros a segunda. Não existe consenso e tudo depende da vontade do dono do animal e do aconselhamento veterinário.

Sónia Ramos, da Vetredondo, sugere aos seus clientes a esterilização. “Como método mais eficaz, sempre a esterilização. É um método definitivo e os riscos inerentes são menores”, diz.

A toma da pílula implica, por norma, a administração de um comprimido quinzenal ou mensalmente, para o resto da vida do animal, o que na opinião da veterinária pode trazer complicações.

“A eficácia é menor. Administra-se um medicamento regularmente, os donos podem esquecer-se, a toma não correcta diminui a eficácia e a longo prazo pode trazer complicações como infecções uterinas e grande incidências de tumores mamários, muitos dos quais malignos”, explica a veterinária.

Quanto aos preços praticados no mercado, regra geral, a cirurgia custa entre 60 a 130 euros, dependendo do sexo do animal, enquanto a pílula tem um custo bastante inferior, mas a longo prazo poderá sair mais caro.

Em qualquer idade, gatas e gatos podem ser submetidos a estes processos. “Se o animal não se destina a reprodução, aconselho a esterilização o mais cedo possível. Mas qualquer dos métodos pode ser iniciado em qualquer animal”, refere Sónia Ramos.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.