Assinar Edições Digitais
Cultura

Cecília Rodrigues: a voz das filarmónicas calou-se subitamente

“Até sempre Cila”. O adeus foi propagado pela página do Facebook da Filarmónica do Arrabal durante os últimos dias, num lamento pela morte inesperada da presidente da direcção.

“Até sempre Cila”. O adeus foi propagado pela página do Facebook da Filarmónica do Arrabal durante os últimos dias, num lamento pela morte inesperada da presidente da direcção.

Maria Cecília Rodrigues

Cecília Rodrigues morreu na quarta-feira, dia 7 de Dezembro, no Centro Hospitalar de Leiria-Pombal. Estava sentada ao computador a trabalhar quando um súbito mal-estar a fez deslocar-se às urgências, de onde já sairia cadáver.

A autópsia haverá de revelar as causas que levaram cedo demais esta mulher de 53 anos, dedicada de corpo e alma à sua terra.

Cecília Rodrigues – que deixa marido e filha – era também presidente da Federação das Filarmónicas do distrito de Leiria, bem como secretária da Associação de Filarmónicas do Concelho.

O presidente, Fernando Brites, que lidera a vizinha Filarmónica do Soutocico, não tem dúvidas da “grande perda que este inesperado desaparecimento significa para todos”.

“Era uma mulher dedicada, que lutava pelas causas em que acreditava. Deu muito à Filarmónica do Arrabal e à causa das bandas filarmónicas”, sublinha.

(notícia publicada na edição de 16 de Dezembro de 2011)