Select Page

Nova triagem de lixo da Valorlis custou 2,4 milhões de euros

Nova triagem de lixo da Valorlis custou 2,4 milhões de euros

Mais reciclagem, menos desperdício. A nova central de triagem automatizada da Valorlis já se encontra em fase de testes e vem resolver uma lacuna no tratamento e valorização de resíduos sólidos urbanos.

Fruto de um investimento de 2,4 milhões de euros, a modernização da unidade aumenta para três toneladas por hora a cadência de separação do lixo. Até este mês, não era possível selecionar mais do que 0,65 toneladas em cada 60 minutos.

O administrador da Valorlis, Miguel Aranda da Silva, explica que a empresa estava a recolher mais embalagens do que conseguia separar. Os resíduos em excesso “iam-se acumulando” nas instalações em Parceiros, Leiria.

A nova central reforça a capacidade de resposta e vai “ao encontro da recetividade da população na separação de embalagens”, salienta o responsável.

Com prazo de vida até 2021, pelo menos, a unidade é constituída por um sistema de abertura de sacos, uma cabine de pré-triagem, um separador balístico, três separadores óticos e uma cabine de triagem manual para controlo de qualidade. De acordo com a Valorlis, vai melhorar substancialmente as condições de trabalho dos operadores.

Trata-se de um investimento financiado em 70% por fundos comunitários, através do Programa Operacional de Valorização do Território.

Em 2012, as quantidades de vidro, papel, cartão e metal para reciclagem têm sido inferiores ao ano passado, tanto na entrega em aterro como nos ecopontos, algo que Miguel Aranda relaciona com o ciclo económico: “As pessoas consomem menos e produzem menos resíduos”, justifica.

As 11 mil toneladas recicladas em média na Valorlis permitem salvar 80 mil árvores do abate e garantem matéria-prima para 5,6 milhões de t-shirts XL e 12,5 milhões de latas de 0,33 cl.

Participada pela EGF – Empresa Geral de Fomento e pelos municípios de Batalha, Leiria, Marinha Grande, Ourém, Pombal e Porto de Mós, a Valorlis faturou 5,9 milhões de euros em 2011, com 375 mil euros de lucros.

(Notícia publicada na edição de 4 de outubro de 2012)

Cláudio Garcia
claudio.garcia@regiaodeleiria.pt

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Primeira Página

Pergunta da Semana

A carregar

Concorda que a Agência Mundial Antidopagem tenha proibido a Rússia, durante quatro anos, de participar em todas as competições desportivas globais?

Obrigado pelo seu voto!
Já votou nesta pergunta!
Selecione uma das opções!

Publicidade

Newsletter Região de Leiria

app repórter no mundo