Assinar
Sociedade

Help Portrait. Os retratos felizes de quem mais sofre com a crise

Todas as objetivas estiveram viradas para eles, por bons motivos. Na Marinha Grande, quem recebe apoio social em consequência da crise foi protagonista num dia feliz.


(fotografias: Cláudio Vicente, Tozé Santos, Carolina Miguel e Bruno Julião)

Por um dia, todas as objetivas lhes deram protagonismo, por bons motivos. Na sede da associação da Ordem, as “estrelas” foram as 72 pessoas que recebem apoio social em consequência da crise.

Pelo segundo ano consecutivo, o projeto internacional de solidariedade Help Portrait chegou à Marinha Grande por iniciativa do fotógrafo Tozé Santos, garantindo uma tarde repleta de alegria e solidariedade.

“Fotografei um senhor com perto de 50 anos e perguntei-lhe quando tinha tirado a última fotografia oficial. Ele respondeu-me que foi para a carta de condução… Outras pessoas, com 30, 35 anos, disseram-me que só tinham sido fotografadas para a escola. Esta é, por todos os motivos, uma grande experiência”, resume o fotógrafo, que mobilizou uma equipa de 18 voluntários, entre maquilhadores, cabeleireiros, outros fotógrafos e pessoal encarregue da logística.

Pela sede do SBR 1º de Janeiro passaram pessoas e famílias da Marinha Grande mas também de Moinhos de Carvide. “Foram atiradas para o apoio social devido à crise. São pessoas que dão valor a este tipo de iniciativas, pessoas que já tiveram e agora não têm”, sublinha Tozé Santos.

Trazer até à região o Help Portrait dá bastante trabalho, nota o fotógrafo, mas a recompensa supera tudo. “Este tipo de ações deixam-nos reconfortados. É cansativo, mas ver a alegria das pessoas quando veem as fotos e têm oportunidade de passar por experiências que algumas nunca têm, como serem maquilhadas e mimadas para uma sessão fotográfica, é indescrítivel”.

Sem surpresa, por isso, Tozé Santos faz um balanço muito positivo da segunda edição de Help Portrait. “Correu acima das nossas expectativas. Foi fantástico, tudo correu cinco estrelas e o feedback das pessoas foi bastante interessante, o que nos dá força para continuar e estar cá no próximo ano novamente”, conta Tozé Santos.

Até porque, sublinha, “para o ano, se calhar, pelo que as estatísticas apontam e a conjuntura parece indicar, se calhar temos 150 inscritos…”.

No final, todos os modelos fotográficos vão receber um retrato personalizados para lembrar a participação.

No sábado, a sede da Ordem recebeu uma tarde recheada de cliques e flashes (fotografia: Cláudio Vicente)

 

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.