Select Page

Gira aos 40: O meu lugar

Gira aos 40: O meu lugar
Sofia Francisco, professora giraaosquarenta@gmail.com

Na minha aldeia realiza-se há já vinte anos um jantar que junta sempre muitas mulheres. Já foi noticiado em jornais, nas televisões nacionais, mas hoje já não é notícia. Contudo, na década de noventa foi notícia porque era necessário marcar uma data para que muitas mulheres tivessem “permissão” para, por uma noite, poderem sair sem filhos e marido. Havia quem se risse e quem não compreendesse, quem até brincasse com o assunto. Eu sempre achei que fazia sentido.

Atualmente, o jantar faz-se para comemorar o encontro de gerações, para relembrar a alegria de mulheres que nos marcaram como a Tia Natália e a Tia Aurora, para desfilar memórias, partilhar risos e abraços. Eu nunca tive coragem para faltar e este ano lá fui mais uma vez, acompanhada de moças de todas as idades que, ao último minuto, se inscreveram, mesmo suspirando e dizendo que já não era a mesma coisa.

E não é. Este ano acredito que quem foi ao jantar não o fez apenas para ter um motivo para sair à noite. Fê-lo porque escolheu ir. Quis estar com pessoas que se sentem satisfeitas por algo que parece tão simples: saber que há um lugar onde, apesar de eventuais conflitos e tricas, percebemos que nos querem bem.

Há sempre um lugar onde pertencemos…o meu chama-se Cavalinhos, e o seu?

(texto publicado na edição de 7 de novembro de 2013)

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Primeira Página

Pergunta da Semana

A carregar

Concorda que a Agência Mundial Antidopagem tenha proibido a Rússia, durante quatro anos, de participar em todas as competições desportivas globais?

Obrigado pelo seu voto!
Já votou nesta pergunta!
Selecione uma das opções!

Publicidade

Newsletter Região de Leiria

app repórter no mundo