Select Page

Crónica irregular: Testes VIH. Sim. Porquê?

Crónica irregular: Testes VIH. Sim. Porquê?
Odete Mendes, médica no ACES Pinhal Litoral

A comemoração, no dia 1, do Dia Mundial de Luta contra a Sida e a 2ª Semana Europeia do teste VIH “Fale sobre o VIH. Faça o teste!”, conduzem-nos a uma reflexão sobre a infecção VIH/SIDA enquanto problema de Saúde Pública, com elevado impacto social, onde persistem medos, preconceitos e discriminação. Grande tem sido o percurso. Nos últimos anos, assistimos a investigação e desenvolvimento no conhecimento e tratamento da infecção, mas é necessário diagnosticar mais cedo. Portugal apresenta uma das mais elevadas incidências na Europa Ocidental, estimando-se percentagens de diagnósticos tardios superiores a 60%, situação a que não podemos ficar indiferentes. Os centros de saúde são espaços privilegiados para a implementação dos testes rápidos VIH, dada a sua “natural” vocação para a promoção da saúde e prevenção da doença, reduzindo diagnósticos tardios. Prevenir a infecção VIH deve ser um compromisso global, numa resposta complementar e integrada, aumentando a consciência do risco, dando oportunidade aos indivíduos para a tomada de decisões, informando-os sobre os benefícios e a acessibilidade aos testes. Torna-se um imperativo garantir a realização do teste VIH: gratuito, voluntário, simples (picada no dedo), rápido (máximo 30 minutos), acompanhado de aconselhamento por um profissional e garantindo a confidencialidade.

O desafio é claro: tem uns minutos? Faça o teste VIH.

(texto publicado na edição de 4 de dezembro de 2014)

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Primeira Página

Pergunta da Semana

A carregar

Concorda que a Agência Mundial Antidopagem tenha proibido a Rússia, durante quatro anos, de participar em todas as competições desportivas globais?

Obrigado pelo seu voto!
Já votou nesta pergunta!
Selecione uma das opções!

Publicidade

Newsletter Região de Leiria

app repórter no mundo