Select Page

Pedro Santos de Oliveira

Pedro Santos de Oliveira

Publicitário

poliveira@sistema4.pt

Lobo Frontal: Ulmar, a frescura da região

Dez 14, 2017 | Opinião | 0 comments

Foi sem pompa nem circunstância que ficámos a saber da derradeira mudança de dono, daquela que foi a maior empresa de distribuição alimentar da zona centro. Este facto até poderia ser considerado absolutamente natural, se esta transação não coincidisse com o fim da presença da marca Ulmar nas ruas da nossa região. É um sinal dos tempos, mas é também uma grande perda. Muito dificilmente voltará a existir um projecto empresarial regional, com um contacto tão constante, profundo e alargado junto das populações. Uma marca com a dimensão do Ulmar não representava apenas um conjunto de lojas alimentares, a sua proximidade acabava também por ter uma função social, quer a montante, quer a jusante da sua actividade.

Na sua maioria, as lojas eram consideradas lojas de bairro, estreitando assim a distância entre os produtores e os consumidores. A penetração social da marca sentia-se igualmente ao nível da presença que tinha em movimentos, associações e projectos sócio-culturais e desportivos.

A marca Ulmar foi, durante décadas, um grande símbolo de Leiria.

O próprio nome, Ulmar, foi a designação dada a uma lagoa próxima de Leiria, que D. Dinis abriu e repartiu pelo povo, em 1291. Até aqui, neste detalhe, podemos encontrar uma curiosa analogia com a actividade desenvolvida cerca de oitocentos anos depois: a distribuição pelas comunidades.

A história dos Supermercados Ulmar teve o seu início em 1969, com as primeiras duas lojas, em Leiria, na Av. Heróis de Angola e na Rua Eng. Duarte Pacheco, aos correios velhos. Um par de anos mais tarde abriu a loja de Pombal, mas o período conturbado do pós-25 de Abril também se fez sentir na empresa, que passou uma década de franca turbulência. Os anos oitenta e a entrada de Portugal na CEE animaram o mercado e permitiram abrir mais uma loja em Leiria e outra em Alcobaça.

Mas foi na década de noventa que se deu a grande expansão da marca, abrindo portas em Fátima, Porto de Mós, Alcanena, Nazaré, Mira d’Aire, Louriçal, Leiria, Caxarias, Condeixa, Vieira de Leiria e duas lojas em Coimbra. Com a entrada no novo milénio, os espaços da Gândara dos Olivais, Fátima e Marinha Grande completaram um conjunto de vinte e três lojas alimentares. Nesta fase, os Supermercados Ulmar chegaram a dar trabalho a mais de quinhentas pessoas.

A “Qualidade e Confiança” eram então a assinatura da marca, mas, em 2007, a venda de todo o negócio ao Grupo GCT, com a mudança de nome das lojas para Ponto Fresco, como que traçou o destino que se veio a confirmar. A forte concorrência, a inadaptação a novas realidades e, seguramente, o afastamento progressivo do “sentir da região” forçaram o declínio e o encerramento de todas as lojas, no início de 2012.

Mas bastou apenas pouco mais de um ano para que cinco antigos funcionários Ulmar, com coragem e determinação, voltassem a reabrir quinze lojas na zona de Leiria. Com a nova assinatura, “A frescura, está de volta”, o projecto, que pretendia recuperar a marca e lançá-la para um novo futuro, acabou por não resistir e, ao fim de quatro anos, a venda à multinacional Spar foi inevitável.

A marca Ulmar acompanhou-me na minha adolescência, e tive a felicidade de poder participar directamente nos dois últimos projectos da sua renovação, em 2000 e em 2013. Esta proximidade permitiu-me assistir ao entusiasmo das administrações e de muitos funcionários, porque fazer parte desta empresa era um grande orgulho. Permitiu-me ver e perceber o imenso trabalho que dá construir uma marca de prestígio, sobretudo no sector alimentar, e os múltiplos factores, as ameaças constantes, os milhares de detalhes, o rigor, a exigência e a energia necessária para que tudo role na perfeição, todos os dias.

Mas foi o carinho e a forma como a comunidade sentia e respeitava a marca Ulmar que me permitiu ver a verdadeira dimensão de todo o trabalho desenvolvido. Afinal, a roseta azul e vermelha já fazia parte de nós, e isso é o que todas as marcas desejam.

 

Nota: Lobo Frontal é um espaço de opinião que pretende partilhar perspectivas pessoais acumuladas nestes mais de vinte e cinco anos de projectos de comunicação e marketing, sobretudo da região, e não tanto como fundamento técnico para uso académico ou profissional.

O autor escreve ao abrigo do antigo acordo ortográfico.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Primeira Página

Publicidade

Publicidade

Pergunta da Semana

A carregar

Concorda que avance, a curto prazo, o processo de regionalização?

Obrigado pelo seu voto!
Já votou nesta pergunta!
Selecione uma das opções!

Publicidade

Newsletter Região de Leiria

app repórter no mundo

Semana de Moldes 2018

Guia do Fim de Semana


Subscreva o nosso guia e descubra as melhores propostas culturais e de entretenimento disponíveis na região

Obrigado! Subscreveu com sucesso o nosso guia de fim de semana.

Guia do Fim de Semana


Subscreva o nosso guia e descubra as melhores propostas culturais e de entretenimento disponíveis na região

Obrigado! Subscreveu com sucesso o nosso guia de fim de semana.

Share This