Select Page

Passageiro do tempo: Eles sabem tudo

José Manuel Silva

José Manuel Silva

Professor/gestor do ensino superior

Tenho o maior respeito institucional pelos deputados e deputadas eleitos pela Nação, como qualquer português amante da democracia representativa está obrigado a ter, mas tenho pouco ou nenhum respeito pessoal por alguns e algumas, cidadãos e cidadãs sem qualidades para ocuparem tais cargos, que nunca fizeram nada de relevante na vida a não ser carregar alguns “pianos” partidários e que, de repente, se sentem preparados para falar e decidir sobre todos os assuntos, em nosso nome e sem nos perguntarem opinião.

Dir-se-á que são os custos da democracia e que estão lá precisamente para representar os portugueses e portuguesas iguais a eles e a elas. Discordo profundamente, considero os portugueses menos ilustrados, menos bafejados pela vida e pela sociedade meus irmãos e meus iguais como cidadãos, mas não os considero os melhores de entre nós para decidirem pelo futuro de todos.

O episódio das três vacinas incluídas no Plano Nacional de Vacinação à revelia da Direção Geral de Saúde, da Comissão Nacional de Vacinação e de todos os organismos que no país têm competência científica e técnica na matéria, veio colocar a descoberto, com uma evidência poucas vezes alcançada, a forma leviana como, por vezes, se legisla. Esta decisão lesa todos os portugueses cujos impostos suportam aqueles organismos e os técnicos que lá trabalham, agora considerados pela AR como irrelevantes.

Esta questão é apenas uma pontinha do icebergue em que a nossa vida política se transformou e basta ver como tudo evoluiu nas últimas décadas para perceber que o sistema político, tal como existe hoje em Portugal, está anquilosado e a precisar de profundíssimas reformas. Os deputados e deputadas são eleitos em listas e, portanto, sem qualquer escrutínio individual, pouco mais são do que um emblema partidário, poucos os conhecem, menos ainda os consideram. Era tempo de legislarem sobre uma vacina para este mal.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *