Select Page

Afinal, qual é o impacto da Imagem de Marca?

Pedro Alves

Pedro Alves

Consultor de recursos humanos

Numa época em que a perceção que se tem sobre as coisas assume cada vez maior peso e preponderância, a imagem de uma pequena ou grande empresa segue exatamente o mesmo caminho. A opinião que se tem sobre determinada Marca permite projetar a imagem das organizações no mercado, elevando-as quando comparadas com os concorrentes. E este é um dos triggers que permite alavancar as empresas nos dias que correm.

Este processo de construção de uma imagem de Marca inicia-se bastante antes do primeiro contacto que se tem com a empresa. Uma conversa entre amigos ou, até mesmo, uma breve pesquisa na internet faz com que tenhamos uma primeira impressão da Marca. É neste momento que se começa a desenvolver a perceção sobre a empresa e, naturalmente, esta primeira interação irá condicionar as interações seguintes. Isto exige por parte das organizações a elaboração de um plano através do qual se tornem capazes de se diferenciar relativamente à atração e retenção de talentos e que, neste sentido, vai além de um simples plano de comunicação.

Uma estratégia de Employer Branding representa a forma como, por exemplo, a missão, a cultura, os valores e as oportunidades são vividas dentro da organização e comunicadas para com o exterior. Esta identidade e envolvência da forma como se trabalha numa determinada empresa é o que as pessoas querem entender antes de tomar uma decisão. Neste sentido, a aplicação de uma estratégia de Employer Branding pretende destacar de forma efetiva essas qualidades, demonstrando o porquê de ser um local especial e indicado, diferenciando-a das demais e tornando-a atrativa quer para potenciais colaboradores, assim como para potenciais clientes.

Com sinais claros de que a competição pelas “melhores pessoas” se está a tornar ainda mais desafiante, muitas organizações estão a direcionar a sua atenção para a robustez da sua Marca. Assim sendo, é relevante identificar três pilares. 1. Avaliar o conhecimento atual da Marca e a cultura organizacional existente, com o intuito de perceber se existe uma identidade claramente definida. 2. Garantir que todas as funções da organização entendem o valor da Marca para o sucesso do negócio e o respetivo papel que precisam de desempenhar para manter uma experiência e reputação consistentes. 3. Definir de que forma a empresa gostaria de ser vista, com base numa avaliação realista dos pontos fortes que a distinguem, transformando-os numa proposta de valor clara para os atuais e futuros colaboradores.

Costuma dizer-se que não há uma segunda oportunidade para causar uma primeira boa impressão e, de facto, o desenvolvimento de uma forte Marca pode ser crucial neste processo de atrair e reter talentos, que tanto frio na barriga tem criado às organizações, procurando o ajuste (quase) perfeito entre a cultura organizacional e a vida pessoal.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *