Assinar

Seis dicas para quem tem uma entrevista de emprego

Conheça os erros mais graves cometidos durante uma entrevista de emprego.

Quando se parte para aquela entrevista que pode marcar o futuro, joga-se muito. Talvez demasiado. Mas o processo é esse mesmo. A entrevista de emprego é um momento importante, na exata medida em que se tenta dar conta que sim, nós somos mesmo a pessoa que aquela organização necessita. Com sorte e arte, podemos mesmo conseguir demonstrar que a organização necessita de nós para responder a problemas que quem contrata não sabia, sequer, existirem.

Há, contudo, lapsos que se pagam caro, determinando a exclusão do processo de recrutamento. Podemos ter uma carreira de formação imaculada, experiências únicas, capacidades inigualáveis, mas nem sempre isso chega porque se negligencia alguns detalhes.

A listagem de erros comuns é, perdoe-se o pleonasmo, relativamente comum. Consultoras analisam entrevistas de emprego e chegam a um padrão que aponta comportamentos que não raras vezes se revelam fatais. Vamos olhar para eles de forma sintética.

Comecemos pela antipatia ou mesmo a arrogância. Parece ser um erro relativamente comum. Muitas vezes, quem sabe, resulta do nervosismo do candidato. O certo é que não ajuda em nada. A empatia é um fator importante na vida e nas organizações. Esquecer-se dela é muito má ideia.

É verdade que se mudamos de emprego, provavelmente poderemos ter algumas impressões negativas do nosso anterior empregador. Usar a entrevista de emprego para as expressar pode revelar-se um tiro nos pés. Quem quer contratar alguém que, à primeira oportunidade, pode manchar a imagem da organização para quem trabalha?

Por outro lado, o desejo de conquistar o emprego pode entusiasmar algum improviso. Ou seja, mentir sobre a experiência ou as competências de que realmente se é detentor pode parecer boa ideia. Tem provado que não é, no entanto. Mais cedo ou mais tarde esse “lapso” pode ser descoberto e arruína uma relação de confiança.

Importa ainda não esquecer que quem emprega pretende receber na sua organização alguém com empenho e motivação para o cargo, pelo que uma postura que o deixe perceber é, muito provavelmente, uma importante vantagem. Mas nem tudo é sobre o local para onde se vai trabalhar. É bom saber explicar quais os objetivos pessoais do ponto de vista profissional e não se perde em partilhar aprendizagens saídas de anteriores experiências no mundo laboral.

Seis erros graves na entrevista de emprego

1     Antipatia e arrogância
2     Comentários depreciativos sobre as anteriores chefias
3     Falta de transparência
4     Falta de motivação para o projeto
5     Ausência de objetivos pessoais e profissionais
6     Incapacidade de explicar funções e experiência

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.