No sítio onde antes funcionou operação similar resta a herança do bom trato para peixes e mariscos, além da gestão de Daniel Casanova. É ele, ao lado do irmão João, quem agora assume o leme do espaço mais moderno, em tons de azul, que busca servir frescura com vista para a baía.

Os pescados chegam todos os dias, portanto é possível optar ainda na montra por robalo, linguado ou atum. Servido diretamente na frigideira fumegante, o camarão à guilho guarda o segredo da procedência em confeção assinada pelo chef Júlio Pires, enquanto na despedida a castanha conventual e a ginja de Óbidos são cortesia.