Select Page

O meu diário: Reality Shows

Helena Vasconcelos

Helena Vasconcelos

Médica

hml.vasconcelos@gmail.com

O mundo deve estar para acabar! O meu discurso está cada vez mais de velha, mas para onde quer que me volte fico cada vez mais chocada. Eu topo tudo, entendo quase tudo e já vi muita coisa. Mas tenho de partilhar convosco o meu asco, sim é mesmo isso, asco, pelos reality shows onde tudo é visto explicitamente e nada velado, nada guardado. Deviam ir todos presos, não os concorrentes coitados, é mesmo isso, coitados, mas quem aprova e permite criar tal coisa, é mesmo isso, coisa, que aquilo de programas de entretenimento não têm nada. Como humilhar pessoas e as enxovalhar em direto.

Os concorrentes arrastam-se para um pântano e carregam com eles toda uma família por vezes completamente inocente. Quem quer casar com o lavrador, quem quer casar com um desconhecido, quem quer acasalar em direto e sei lá mais o quê ? Mas o ex-líbris dos reality shows é um que passa num canal qualquer (não sei qual mas não é nenhum dos quatro principais) e com o qual, me confrontei aquando de um zapping noturno (mas não tão noturno assim) com um programa de gente nua, mesmo nua e com zoom a apontar para as partes mais pudibundas. Como compreendem, com a profissão que exerço não tenho qualquer dúvida sobre corpos das pessoas e não me choca nada ver pessoas nuas e expostas. Mas “Cos Diabos”? Na TV com as passarinhas e os pirilaus em grandes planos, a serem comentados pelos outros e pela apresentadora? Como é possível? A maioria nem bonitos eram! Iam-se destapando e ficavam à mostra completamente nus eles e elas sem defesas, sem arte , sem planos de corte cinematográficos. Nuzinhos em pelota para mostrar ao mundo como são feitos. Estarão a dizer agora vocês, mas tu paraste para ver e não paraste nos outros canais porquê? É impossível não parar, não ficar a olhar para uma coisa tão inverosímil, tão impensável tão pouco dignificante do ser humano.

O melhor está no que não se vê, já dizia o outro e com razão. Mesmo em matéria mais carnal o que se adivinha e imagina tem mais apelo do que o que se vê. Na minha profissão, como vos disse, já vi de tudo, mas reitero a minha frase inicial. O mundo deve estar para acabar.

(Artigo publicado na edição de 9 de maio de 2019)

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Guia do Fim de Semana


Subscreva o nosso guia e descubra as melhores propostas culturais e de entretenimento disponíveis na região

Obrigado! Subscreveu com sucesso o nosso guia de fim de semana.

Guia do Fim de Semana


Subscreva o nosso guia e descubra as melhores propostas culturais e de entretenimento disponíveis na região

Obrigado! Subscreveu com sucesso o nosso guia de fim de semana.

Share This