Assinar Edições Digitais
Sociedade

Obras do Centro de Alto Rendimento de Surf da Nazaré estão suspensas

As obras do Centro de Alto Rendimento de Surf, na Nazaré, foram suspensas pela construtora, alegando falta de pagamento da autarquia que garante que o dinheiro está a ser pago a outras entidades.

As obras do Centro de Alto Rendimento de Surf, na Nazaré, foram suspensas pela construtora, alegando falta de pagamento da autarquia que garante que o dinheiro está a ser pago a outras entidades.

O presidente da Câmara Municipal da Nazaré, Jorge Barroso, confirmou à agência Lusa a suspensão dos trabalhos, admitindo que esta é uma “má notícia”, pois significa que a obra vai ficar parada “durante algum tempo”.

Jorge Barroso assegurou que “não está em cima da mesa a questão da desistência” em relação ao investimento, de cerca de 700 mil euros localizado na Praia do Norte, adiantando que segue-se o processo administrativo que prevê a escolha do segundo classificado do concurso para realizar a obra.

“Se aceitar, tudo bem, o processo será mais rápido. Se não aceitar, teremos de fazer a posse administrativa da obra, a medição dos trabalhos feitos, dos trabalhos por fazer, fazer um novo concurso, a adjudicação e por aí fora”, explicou o autarca.

De acordo com a ata da reunião do executivo municipal, de 09 de agosto, disponível no sítio da Internet do município, a empresa, que a agência Lusa tentou contactar sem sucesso, comunicou a suspensão dos trabalhos “com fundamento na falta de pagamento das faturas relativas aos autos de medição já efetuados”.

“De facto, encontram-se já vencidas faturas no valor total de 52.014,69 euros com IVA incluído”, lê-se na ata, acrescentando que estas “não serão pagas diretamente à firma em questão, por existirem processos de penhoras relativos à mesma”.

O Centro de Alto Rendimento de Surf resulta de uma parceria entre a autarquia e a Federação Portuguesa de Surf, contemplado com um financiamento do Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN) de 70 por cento e ainda de cinco por cento do Instituto do Desporto de Portugal, sendo a verba restante assegurada pelo município.

Segundo uma nota de imprensa da autarquia, o investimento “foi projetado para receber estágios da seleção nacional de surf e bodyboard”, assim como eventos e estágios internacionais de várias modalidades.

De acordo com o projeto aprovado, o centro terá uma zona residencial, uma área polivalente e uma área comum/social.

A zona residencial tem capacidade para 30 pessoas e inclui sete quartos, além de uma área técnica, enquanto espaço polivalente, para 50 pessoas, contempla uma zona multidisciplinar relvada, direcionada para a ocupação de tempos livres, realização de jogos e animações.

Uma sala de refeições, uma área médica e outra desportiva, que compreenderá uma sala de aquecimento/laboratório, são outros dos espaços do centro.