Assinar Edições Digitais
Sociedade

Um terço das viaturas da PSP de Leiria está parado

O Comando Distrital da PSP de Leiria dispõe de cem viaturas para patrulhar as suas áreas de atuação, mas cerca de um terço está parado.

O Comando Distrital da PSP de Leiria dispõe de cem viaturas para patrulhar as suas áreas de atuação, mas cerca de um terço está parado.

Veículos parados não põem em causa a segurança, diz comandante (fotografia de arquivo: Sérgio Claro)

Acidentes, toques, reparações mecânicas ou simples revisões são os principais motivos para os veículos não circularem, mas Rui Conde, comandante distrital da PSP, adianta que este impedimento “não põe em causa a segurança das populações”.

“Temos duas dezenas e meia a três dezenas de viaturas paradas. Mas nunca ninguém deixou de ser socorrido. Temos viaturas em número suficiente para responder a todos os pedidos”, refere.

Contudo, para o comandante, a principal preocupação passa pela “demora burocrática” na autorização da tutela para reparar as viaturas.

“Muitas vezes a situação resolve-se facilmente, mas o tempo que demora todo o processo desde enviar os relatórios e receber autorização do Ministério da Administração Interna é que dificulta o processo”.

A opinião é partilhada por Licínio Barbosa, dirigente de Leiria da Associação Sindical dos Profissionais da Polícia, entidade que na última semana revelou existirem 700 viaturas desta força policial paradas em todo o país.

“Os processos burocráticos estão a dificultar gravemente e por vezes a impedir a reparação das mesmas a tempo e horas. Antes era muito mais fácil e rápido. Agora só se pode fazer quando chega a autorização prévia”, esclarece. Questionado sobre a necessidade de novas viaturas, o comandante confessa ter “um parque que não é o mais moderno”, mas adianta que “é tudo uma questão de gestão de meios”.

(notícia publicada na edição de 9 de março 2012)

MG