Assinar
Sociedade

Ourém quer Tribunal de Primeira Instância do Médio Tejo

Com a reorganização judicial, Ourém perde grande parte das suas valências para Santarém e Tomar e fica reduzido a uma secção cívil e a uma secção criminal. Perde magistrados e passa de 24 a 15 funcionários.

A Câmara Municipal de Ourém aprovou por unanimidade uma moção para que o Tribunal de Ourém seja constituído como tribunal de Primeira Instância. O objectivo é assim servir as populações que residem na Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo.

Tribunal Judicial de Ourém (fotografia: Glória Q. Ishizaka)
A moção vem na sequência de uma carta da delegação concelhia da Ordem dos Advogados. Na missiva, a Ordem dá conta das características do município e do facto deste ser o terceiro no distrito de Santarém com maior entrada de processos em Tribunal.

Com a reorganização judicial, Ourém perde grande parte das suas valências para Santarém e Tomar e fica reduzido a uma secção cívil e a uma secção criminal. Perde magistrados e passa de 24 a 15 funcionários.

Os advogados sublinham o facto de certas populações distarem 100 quilómetros de Santarém e de não existirem respostas adequados a nível de transportes públicos.

A reorganização não atenta ainda à “especificidade da litigiosidade do concelho de Ourém onde coexistem abundantes acções de direitos reais, a exigirem deslocações frequentes do tribunal ao local do litígio, com acções pessoais complexas resultantes do fluxo emigratório, e da especificidade de Fátima”, acentuam.

Na moção aprovada pela autarquia lembra-se que há poucos anos o Tribunal de Ourém sofreu obras significativas.

Reclama-se que “o Tribunal de Ourém seja constituído como segundo tribunal de Primeira Instância, tal como se pretende para Santarém, com o objectivo de servir o Norte do Distrito de Santarém, nomeadamente, as populações que residem na Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo”.

O documento deve ser enviado ao Presidente da República, Primeiro Ministro, Ministra da Justiça e grupos parlamentares da Assembleia da República.

Cláudia Gameiro
claudia.gameiro@regiaodeleiria.pt

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.