Assinar Edições Digitais
Sociedade

Pombal apoia vítimas de violência doméstica

A Câmara de Pombal foi a primeira a aderir formalmente a um protocolo que prevê o apoio à reinserção na comunidade de vítimas de violência doméstica

A Câmara de Pombal foi a primeira a aderir formalmente a um protocolo que prevê o apoio à reinserção na comunidade de vítimas de violência doméstica, anunciou a Secretaria de Estado dos Assuntos Parlamentares e da Igualdade.

O documento oficializa a colaboração entre o Governo e a Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP) no apoio às vítimas de violência, nomeadamente através da disponibilização de habitações a baixo custo para mulheres saídas de casas-abrigo. O objetivo passa por criar uma “rede de municípios solidários” que acompanhem as vítimas que querem recomeçar a sua vida em comunidade.

Pombal não perdeu tempo a aderir à iniciativa, que vem complementar o esquema de apoio já existente no concelho. Desde 2001, a associação APEPI (Associação de Pais e Educadores para a Infância) gere uma casa-abrigo com capacidade para 12 mulheres, mas o espaço funciona apenas como residência provisória, tendo as vítimas de trilhar, depois, o seu caminho.

O protocolo assinado insere-se no âmbito do IV Plano Nacional Contra a Violência Doméstica. A lista dos municípios que aderirem ao plano será divulgada nos sites da ANMP e da Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género.