Select Page

Leirienses produzem menos lixo em tempo de crise

Leirienses produzem menos lixo em tempo de crise
A exemplo do lixo indiferenciado, diminuiu também a produção de vidro, papel e embalagem (fotografia: Joaquim Dâmaso)

A culpa é mais uma vez da crise. Com menos poder de compra, os hábitos de consumo dos leirienses alte­raram-se nos últimos anos e afetaram a produção de lixo, que tem vindo a diminuir gradualmente.

Os números são claros e não deixam dúvidas. Em sete dos 17 concelhos da região (Alcobaça, Batalha, Leiria, Marinha Grande, Ourém, Pombal e Porto de Mós), a quantidade de resíduos urbanos indiferenciados sofreu uma quebra de 9% nos primeiros oito meses de 2012 (86.252 toneladas) face a igual período de 2010 (93.806 toneladas).

No total, foram recolhidas menos 7.554 toneladas de lixo, segundo dados fornecidos pela SUMA (Serviços Urbanos e Meio Ambiente) – que atua em Alcobaça, Batalha, Leiria e Porto de Mós – e pela Valorlis, responsável pela gestão do aterro sanitário onde é depositado o lixo de seis concelhos (Leiria, Marinha Grande, Batalha, Porto de Mós, Ourém e Pombal).

Já no que toca aos resíduos para reciclagem, a maior redução verificou-se no papel, nota a Valorlis. A variação atingiu 16,8% negativos entre 2011 e 2012. A recolha seletiva de embalagens retrocedeu, por sua vez, 14,4% e o vidro 4,8%, nesse mesmo período.

Leia a notícia na íntegra na edição de 12 de outubro de 2012. Pode adquiri-la aqui.

Martine Rainho
martine.rainho@regiaodeleiria.pt

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Primeira Página

Pergunta da Semana

A carregar

Concorda que a Agência Mundial Antidopagem tenha proibido a Rússia, durante quatro anos, de participar em todas as competições desportivas globais?

Obrigado pelo seu voto!
Já votou nesta pergunta!
Selecione uma das opções!

Publicidade

Newsletter Região de Leiria

app repórter no mundo