Assinar Edições Digitais
Cultura

Quinto Império: Vamos jogar à história de Portugal?

Dos caçadores recoletores à entrada na CEE, Portugal é muita coisa. Que tal fazer disso um jogo? A brincar, David Mendes quer que conheçamos a identidade do país.

Afonso Henriques, Camões, D. Maria II ou Amália Rodrigues. Escolha uma das figuras incontornáveis da nossa história, lance os dados e junte todo o ouro que conseguir até à data da independência de Portugal.

David Mendes e “Quinto Império”, um jogo para maiores de 11 anos que aposta na aventura da história de Portugal (fotografia: Joaquim Dâmaso)

Depois entre na fantástica aventura que é a história de Portugal neste que é mais do que um simples jogo de tabuleiro: “Quinto Império” é, sim, um minicurso de história, com 600 perguntas e muitos factos sobre monumentos e sítios nacionais.

“O projeto foi pensado para divulgar o nosso património, o que é português e a nossa identidade”, explica David Mendes, formado em história e professor da disciplina.

Para o autor, natural e residente em Vermoil, Pombal, num momento de crise e desânimo como este, “Quinto Império” surge como forma de “demonstrar, num jogo, o que temos de bom. Não são só os descobrimentos. Pretendemos que as pessoas sintam orgulho em Portugal”.

Esta proposta ludico-pedagógica vai ao encontro do crescente interesse pelo universo dos jogos. O que diferencia então “Quinto Império” das restantes propostas com semelhante inspiração?

“O rigor na parte histórica, um caminho por onde nunca ninguém entrou”, explica David Mendes, assumindo que a história “é um caminho chato” para a maior parte das pessoas. A sedução é tentada pela proximidade: “Quero que as pessoas olhem e pensem que ali, no jogo, está algo seu”.

Para isso, David escolheu monumentos de todos os distritos e riquezas de todas as regiões. “Todo o português identificará aqui alguma coisa que lhe diz respeito. É um jogo para as pessoas de Bragança ao Algarve”.

Em plena ação, descobrem-se muitos feitos dos portugueses pelo mundo e passos cruciais na história nacional. É possível, por exemplo, comprar o Vinho do Porto ou o Cante Alentejano e ficar a saber onde nasceu José Saramago ou quando foi abolida a pena
de morte.

Por agora sem hipóteses de continuar a ensinar nas escolas, David Mendes encontrou neste novo projeto a possibilidade de aplicar os conhecimentos e continuar a transmiti-los. Criou a própria marca e prepara já outros jogos, alguns a pensar até na internacionalização.

“Tenho consciência da limitação do nosso mercado e sei que uma empresa não consegue sobreviver a fazer jogos sobre a história de Portugal. Este é um ensaio para outros projetos”.

Na caixa, por fora, surge a mensagem “O Quinto Império é orgulhosamente pensado e produzido em Portugal”. David Neves retoma a ideia de que este é um jogo-mensagem. “Viveram-se anos muito complicados para trás e nós sempre conseguimos ultrapassar tudo. O jogo leva-nos a descobrir essas dificuldades e que em Portugal há coisas boas”.

“Quinto Império” custa 34,75 euros e inclui 75 euros em vouchers com oferta de entradas e descontos em 11 monumentos e museus de Portugal. É um aliciante extra e uma outra forma de divulgar o património nacional.

(Notícia publicada na edição de 23 de novembro de 2012)

Manuel Leiria
manuel.leiria@regiaodeleiria.pt