Assinar Edições Digitais
Sociedade

Proteção Civil regista mais de 600 ocorrências no distrito de Leiria

Entre 600 e mil ocorrências foram registadas ontem, na sequência do mau tempo. O número exato está por apurar devido a dificuldades de comunicação com os corpos de bombeiros.

Entre 600 e mil ocorrências foram registadas pelo CDOS de Leiria (Centro Distrital de Operações de Socorro), na sequência do mau tempo de ontem. Segundo Sérgio Gomes, comandante distrital da Proteção Civil, o número exato ainda não foi apurado devido às dificuldades de comunicação, tanto móveis como fixas, com os corpos de bombeiros da região.

De acordo com a mesma fonte, o litoral do distrito de Leiria foi o mais afetado. Das ocorrências registadas, Sérgio Gomes referiu não terem resultado vítimas, estando o grosso das situações relacionadas com quedas de árvores, postes e cabos de alta e média tensão e com a cobertura de alguns edifícios.

Foi o que sucedeu na Escola Secundária Afonso Lopes Vieira, em Gândara dos Olivais. Segundo Pedro Biscaia, diretor daquele estabelecimento de ensino, o temporal “provocou graves danos na cobertura do refeitório e salão polivalente”. Numa nota enviada à comunicação social, Pedro Biscaia referiu que por não estarem reunidas as condições de segurança adequadas, esta segunda-feira, “a escola não poderá funcionar com normalidade”, pelo que solicitou aos encarregados de educação que providenciassem “alternativas de acompanhamento dos seus educandos”.

A esta hora, em várias zonas do concelho de Leiria a energia elétrica continua por restabelecer. O REGIÃO DE LEIRIA tem tentado obter informações junto da EDP, mas até ao momento ainda não foi possível.

Em comunicado da EDP Distribuição, contudo, a empresa avança que Leiria é um dos distritos ainda afectados pelos cortes de eletricidade, juntamente com Aveiro, Castelo Branco e Santarém.

Estão neste domingo cerca de mil funcionários da EDP no terreno a trabalhar para recuperar a rede eléctrica, que ficou afetada pela queda de muitas árvores de grande porte sobre as linhas de distribuição, na sequência dos fortes ventos. A remoção dessas árvores, algumas em locais de difícil acesso, obriga à intervenção de equipas da Proteção Civil e bombeiros.

Está prevista a normalização da situação até ao final do dia, sobretudo na rede de alta e média tensão. Em todo o país, os fortes ventos de sábado danificaram linhas numa extensão de 11 mil quilómetros.