Através do projeto Memória Lusa, a empresária Fernanda Matias acredita estar a contribuir para a revitalização da cerâmica portuguesa tradicional e a resistir contra a estagnação de um sector histórico no distrito de Leiria.

A ideia surgiu em 2011 e tem sido desenvolvida em parceria com indústrias locais. Em conjunto, asseguram a produção e comercialização de louça regional decorativa e utilitária para diversos pontos do país.

Atualmente, a Memória Lusa trabalha com o mercado interno através do canal de revenda, sem descurar a presença na internet e a divulgação na rede social Facebook, com página própria, onde é anunciada a inspiração na cultura portuguesa e nas lendas e costumes das várias regiões. “Procuro adaptar o antigo ao moderno, como é o caso nos pratos tradicionais feitos só de uma cor”, explica Fernanda Matias, que tenciona relançar no mercado as tonalidades típicas da original louça azul de Alcobaça.

Depois de década e meia a trabalhar por conta própria, na área comercial, fornecendo tintas a frio para as fábricas de cerâmica, a empreendedora investiu num pequeno ateliê de artesanato e entretanto começou a colaborar com uma empresa do sector, o que a levou a lançar o projeto Memória Lusa na internet, em 2011. A aposta nos ícones da tradição portuguesa pode passar por outros produtos, fora do universo da cerâmica, num conceito que quer aproveitar a moda do revivalismo.

Há três meses, Fernanda Matias reforçou a promoção através do Facebook e descobriu que esta é “a melhor ferramenta” para chegar mais longe. Talvez por isso, tem já em vista o desenvolvimento de uma loja online.

(Notícia publicada na edição de 4 de abirl de 2013)

CG