Assinar
Sociedade

Cinco leirienses saltam até ao campeonato do mundo

A experiência internacional não é novidade para André Santos. O mesmo não podem dizer os restantes atletas que vão lidar com a pressão internacional pela primeira vez

Sonhar não é proibido e não paga imposto. Para cinco jovens de Leiria o sonho está prestes a realizar-se e só um salto, ou melhor vários, vão poder cumprir este objetivo.

De 13 a 16 de novembro, quatro atletas de tumbling do Ateneu Desportivo de Leiria (ADL) e uma ginasta de trampolim do Trampolins Clube de Leiria (TCL) vão participar no Campeonato do Mundo de Grupos por Idade, em Daytona Beach, Estados Unidos.

Três ginastas do ADL vão atingir uma altura nunca antes alcançada, afinal esta será a estreia em competições internacionais. Paulo Fernandes e Matilde Pereira, de 12 anos, praticam tumbling há dois e três anos. Inês Ferreira, de 17 anos, há cinco. Conheceram a disciplina por acaso mas a paixão foi de tal forma imediata que nunca mais deixaram de correr a grande velocidade, numa pista, realizando elementos acrobáticos ao longo de 25 metros. Mortais, piruetas, duplos mortais são alguns dos exercícios que fazem.

Paulo Fernandes, Inês Ferreira, André Santos e Matilde Pereira vão representar o Ateneu de Leiria em tumbling
Paulo Fernandes, Inês Ferreira, André Santos e Matilde Pereira vão representar o Ateneu de Leiria em tumbling

Para o treinador Pedro Andrade, que vê a maior comitiva de sempre de tumbling do clube apurada, os resultados, nestes escalões, não são o mais importante. “Naturalmente, eles vão encontrar um ambiente totalmente diferente daquele que conhecem nas provas nacionais. Vamos gradualmente preparando as coisas, passo a passo, sempre com uma visão do amanhã. Mais importante que qualquer resultado que consigamos atingir, é a experiência e a preparação de uma carreira, que se faz desde tenra idade”, afirma. Já com outra experiência, o técnico espera que os três jovens estejam presentes no Europeu de 2016.

A expectativa é bem diferente com André Santos, de 16 anos. Campeão nacional no seu escalão e vice-campeão na Taça de Portugal, é o mais experiente do clube. Com oito anos de modalidade no corpo, vai pela quinta vez ao mundial. “É sempre bom saber que estamos apurados. Quero chegar à final e procurar ficar bem classificado. Se tiver medalhas, é o meu bónus”, explica.

Nesta aventura, quase tão complicado como o apuramento é o encargo financeiro que a participação implica. Cada atleta vai gastar perto de três mil euros e só com ajuda (extra) do “paitrocínio” e o esforço do clube, com a organização de eventos, permite suportar a viagem.

Aguentar pressão

Maria Alves, do Trampolins Clube de Leiria, é uma das quatro ginastas nacionais a competir em trampolim
Maria Alves, do Trampolins Clube de Leiria, é uma das quatro ginastas nacionais a competir em trampolim

Portugal terá quatro representantes em trampolim na competição. A única no escalão 11/12 anos é Maria Alves, do TCL.

A pressão pode ser a sua maior adversária, mas o treinador Henrique Galinha está confiante. “Se aguentar a pressão de uma prova deste género e estiver ao seu nível, ao nível que trabalha e treina, já é muito significativo. O resultado vem por acréscimo”, realça, apontando para uma classificação entre o 15º e o 25º lugar.

Por agora os nervos ainda estão esquecidos e os atletas divertem-se a fazer aquilo que melhor sabem: saltar com um q.b. de exercícios acrobáticos que dão vida e adrenalina à modalidade.

 

Partida
Atletas saem de Lisboa no dia 8 de novembro. O Campeonato do Mundo por Grupos de Idade decorre entre 13 e 16 de novembro, em Daytona Beach, nos Estados Unidos da América

Escalões
11/12 anos Paulo Fernandes e Matilde Pereira, do ADL, em tumbling; Maria Alves, do TCL, em trampolim
15/16 anos André Santos, do ADL, em tumbling
17/18 anos Inês Ferreira, do ADL, em tumbling

 

Marina Guerra (texto)
marina.guerra@regiaodeleiria.pt
Joaquim Dâmaso (Fotos)
joaquim.damaso@regiaodeleiria.pt

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.