A distrital de Leiria do PS considera que o Centro Hospitalar de Leiria (CHL) tem sido alvo de “ataques”, provenientes de “interesses muito poderosos”. Numa moção aprovada dia 18, o PS distrital apela ainda ao Governo que reforce os meios no CHL e reconduza Helder Roque na liderança do centro hospitalar.

No documento, a Comissão Política Distrital do PS, apela ao Governo que “dote o CHL dos meios financeiros e humanos que lhe permitam ultrapassar as dificuldades atuais e melhorar o bom desempenho”, no sentido de “num futuro não muito longínquo, ser autossuficiente em todas as valências hospitalares”. A estrutura liderada por António Sales apela ainda que a tutela, “negoceie com a atual administração e com o seu presidente a sua manutenção à frente do Centro Hospitalar de Leiria”.

Recorde-se que, no início do mês, Helder Roque, presidente do Conselho de Administração do CHL, revelou aos colaboradores daquele centro hospitalar que, a 28 de fevereiro, tinha apresentado a sua demissão – em forma de protesto – à ministra da Saúde. 

No documento aprovado pela distrital do PS,  é ainda feita a denúncia dos ataques que, entende a distrital, pretendem atingir o Serviço Nacional de Saúde (SNS) e o CHL.

O SNS, reforça a estrutura socialista, é, entre as conquistas saídas do 25 de Abril, aquela “a que os portugueses em geral e os socialistas em particular, têm mais apego”.

Contudo, denunciam os socialistas de Leiria, o SNS “tem sido atacado de forma violenta por interesses muito poderosos que gostariam de acabar com ele ou reduzi-lo a um serviço mínimo e insignificante”. Ainda de acordo com a distrital, os atacantes “vão desde a direita liberal, aos beneficiários dos grandes negócios da medicina privada, a que se juntam alguns interesses corporativos ecléticos e difusos”.

O CHL e “sobretudo o Hospital de Santo André, têm sido alvo desses ataques”, salienta a moção. O documento aponta ainda o dedo à comunicação social que, entendem os socialistas do distrito, “tem-se tornado no eco de posições assumidas, por diversos intervenientes, nomeadamente pela Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos, que têm passado a imagem de um hospital à beira da rutura e em situação dramática”.

“Não negamos graves dificuldades pontuais, na área da medicina interna, nas urgências, mas quer a direção do CHL, quer o seu presidente, têm garantido que nas restantes valências, a situação do Hospital de Santo André é boa, o que é reconhecido pelos utentes e por entidades independentes quer nacionais, quer estrangeiras”, reforçam os socialistas.

“Ainda em 2018, o CHL foi considerado o Hospital público com melhor desempenho entre o seu grupo”, aponta igualmente a moção da distrital que enuncia vários prémios e distinções que, ao longo dos anos, têm sido atribuídas ao CHL.

“Quando a atual direção tomou posse há 14 anos, o Hospital de Leiria era uma instituição arcaica com poucas valências e totalmente dependente dos hospitais de Coimbra para todos os casos mais complicados”, todavia, hoje em dia, o CHL é “um centro hospitalar de bom nível com dimensão regional, mas com ambição para muito mais”, acrescenta a distrital socialista.