“A região está de parabéns nesta perspetiva”, disse ao REGIÃO DE LEIRIA o inspetor geral da ASAE (Autoridade de Segurança Alimentar e Económica), Pedro Portugal Gaspar, perto de completar 24 horas do arranque da operação que abrangeu  60 locais a nível nacional. Com o objetivo de fazer uma radiografia das condições de transporte de produtos em Portugal, a Operação Estrada passou por Leiria, e estacionou na saída da A1.

Ao todo, 175 inspetores da ASAE estão envolvidos na intervenção que iniciou às 19 horas de quarta-feira, 9, e percorreu o território nacional desde o Minho ao Algarve em cooperação com a GNR (Guarda Nacional Republicana) e a PSP (Polícia de Segurança Pública). A previsão é que a mesma encerre às 2 horas desta madrugada. “É uma operação que se desenrola duas vezes por ano em termos globais e que tem como objetivo assegurar, a montante do retalho, as garantias das condições de transporte dos produtos alimentares e não-alimentares”, explicou o inspetor geral.

Até ao final da tarde desta quinta-feira, 10, dois mil operadores foram fiscalizados e cerca de 14 autos de contraordenação levantados. “O que atesta um nível de cumprimento muito assinalável”, completou Pedro Portugal Gaspar. A situação mais grave detetada aconteceu ao sul do país, com a apreensão de cerca de meia tonelada de carne “em condições que não garantiam sua segurança alimentar”. A carga foi detida e aguarda peritagem.

Até às 16h30, apenas uma coima foi registada em Leiria por transporte de fruta sem as devidas condições de higiene. “Mas globalmente está com um nível satisfatório de cumprimento”, concluiu o inspetor responsável.

Jessica Germano Jornalista jessica.m.germano@regiaodeleiria.pt