Mais de mil quilos de moedas atirados ao longos anos para os vários lagos existentes no interior das Grutas de Mira de Aire, no concelho de Porto de Mós, foram retirados e vão reverter a favor dos Bombeiros Voluntários de Mira de Aire, anunciou a empresa que gere o complexo.

Encerradas ao público desde 15 de março devido à pandemia de Covid-19, as Grutas de Mira de Aire, eleitas uma das “7 Maravilhas Naturais de Portugal”, estão a aproveitar a paragem forçada da atividade para “preparar e melhorar o circuito turístico”, informa uma nota da empresa gestora.

No âmbito desses trabalhos, que envolveram lavagem, desinfeção e manutenção de aspetos visuais da gruta e de todo o complexo turístico, foram recolhidos mais de mil quilos de moedas, atiradas para os vários lagos pelos visitantes.

Agora, esse dinheiro será doado aos Bombeiros Voluntários de Mira de Aire, “minorando os custos acrescidos pela situação criada pelo coronavírus”, avançam os respnsáveis da gruta, acrescentando que a entrega, num valor não especificado, será concretizada no dia 5 de maio.