Assinar Edições Digitais


Pedrógão Grande

Ministério Público analisa donativos da comunidade chinesa entregues em Pedrógão Grande

A recolha de fundos reportava-se aos incêndios de 2017 e o Ministério Público está a ponderar abrir uma investigação ao caso.

O Ministério Público de Figueiró dos Vinhos está a analisar os donativos feitos pela comunidade chinesa em Portugal e que foram entregues à Câmara de Pedrógão Grande.

A recolha de fundos reportava-se aos incêndios de 2017 e o Ministério Público está a ponderar abrir uma investigação ao caso, avança esta segunda-feira o Jornal de Notícias.

A situação, explica o diário, teve origem num processo movido por Isabel Alves, mulher de Valdemar Alves, presidente da Câmara de Pedrogão Grande, contra Carlos David Henriques, ex-presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Pedrógão Grande.

Carlos David Henriques disse que Isabel Alves tinha marcado presença na entrega dos donativos por parte da comunidade chinesa e a mulher de Valdemar Alves, acusou-o de difamação.

O antigo responsável dos bombeiros acabou por ser absolvido, depois de mostrar, em tribunal, duas fotografias que mostram que a esposa do presidente do município esteve presente na cerimónia de entrega dos donativos por parte da comunidade chinesa, em julho de 2017.

Em tribunal, Valdemar Alves negou qualquer intervenção da mulher. Uma vez confrontado com as fotos, adiantou que Isabel Alves “houvera, apenas e só, intermediado e sido intérprete nos contactos entre si e alguns chineses falantes de língua inglesa”.

O tribunal apontou, por sua vez, as “hesitações e contradições demonstradas pela testemunha”, referindo que “não mereceu credibilidade”, relata o JN de hoje.

Entre junho e outubro, a comunidade chinesa em Portugal entregou a Valdemar Alves donativos no valor de 91 mil euros.

A verba teria como destino o apoio às vítimas dos incêndios. Bombeiros e a Associação de Vítimas do Incêndio de Pedrógão Grande referem não ter recebido nada.