Assinar
Alcobaça

Mulheres detidas por tráfico e posse ilegal de armas e peças ornamentais

A GNR elaborou um auto de contraordenação por posse ilegal de duas tartarugas embalsamadas e uma peça de coral

A GNR deteve duas mulheres, de 58 e 85 anos, por tráfico de estupefacientes, posse ilegal de armas e de peças ornamentais, e desmantelou cinco estufas de canábis com ligação ilegal à rede elétrica, em Casal Pardo, no concelho de Alcobaça.

A operação, desenvolvida na quinta-feira, dia 18, pelo Núcleo de Investigação Criminal de Caldas da Rainha, decorreu no o âmbito de uma investigação por tráfico de estupefacientes em curso desde novembro de 2020.

Os militares da GNR realizaram duas buscas domiciliárias e uma num veículo, que culminaram na apreensão de 300 doses e 13 plantas de canábis, 12 cartuchos, três caçadeiras e uma arma de paintball.

Foi ainda aprendido “diverso material elétrico e equipamento de apoio à produção, secagem, embalagem e corte de canábis”, refere um comunicado do Comando Territorial de Leiria da GNR.

No seguimento das diligências policiais, foram desmanteladas quatro estufas de produção de canábis e outra de secagem, ligadas ilegalmente à rede elétrica. As armas “não tinham registo nem qualquer tipo de documentação válida”

No decorrer da operação, “após terem sido detetados ilícitos contra a natureza e ambiente”, a GNR elaborou um auto de contraordenação por posse ilegal de peças ornamentais por falta de certificado CITES [Convenção sobre Comércio Internacional de Espécies da Fauna e Flora Selvagem Ameaçadas de Extinção], punível com uma coima até 100 mil euros.

As autoridades apreenderam “duas tartarugas de escamas (Eretmochelys imbricata) embalsamadas, uma peça de coral (Acropolidae) de dois quilos, e diversas peças de marfim de elefante-africano (Loxodonta africana): 16 pulseiras, 5 brincos, 3 colares, 3 anéis, 3 peças trabalhadas com o peso total de 1,6 quilos, 2 estatuetas e um terço.

Esta ação contou com a participação da GNR São Martinho do Porto, do Núcleo de Proteção Ambiental e Caldas da Rainha, do Destacamento de Intervenção de Santarém e a colaboração do ICNF.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.