Assinar


Alcobaça

Bombeiros da Benedita entregam capacetes em protesto contra a direção

Protesto tem por base a eleição da nova direção, mas com a qual “os bombeiros não concordam”.com a qual “os bombeiros não concordam” e cujas opções “não estão mais dispostos a suportar”.

Uma dezena de bombeiros voluntários da Benedita, no concelho de Alcobaça, entregaram hoje os capacetes em protesto contra a direção da corporação e ameaçam passar à reserva por considerarem que o socorro está a ser descurado.

O protesto tem por base uma assembleia geral realizada na quinta-feira à noite, na qual foi eleita a direção que deverá gerir os destinos da associação durante os próximos três anos, mas com a qual “os bombeiros não concordam” e cujas opções “não estão mais dispostos a suportar”, disse à agência Lusa Dinis Coito, bombeiro na corporação há 14 anos.

Das eleições de quinta-feira, a que concorreram duas listas, saiu vencedora a lista A, encabeçada por Filipe Marques, que no mandato anterior ocupava o cargo de vogal na direção da Associação dos Bombeiros Voluntários da Benedita.

“No fundo a direção é a mesma, tendo havido apenas troca de cadeiras, com o anterior presidente a concorrer como vogal e o anterior vogal a concorrer a presidente”, afirmou aquele que foi o primeiro bombeiro entregar o capacete “em protesto contra uma situação que se arrasta há anos e que havia a expectativa de vir a mudar com uma nova direção”.

A contestação dos voluntários prende-se com “a degradação do corpo de bombeiros, perante as opções da direção, que transformou a corporação numa empresa de transporte de doentes, em detrimento do socorro”, disse o operacional.

Dinis Coito sublinha que “o transporte de doentes é uma vertente importante” do serviço dos bombeiros, mas defende que “tem de haver também investimento no socorro, porque sem ele os voluntários acabam por se desmotivar e não aparecer nos serviços, porque já sabem que não vão em missões de socorro, mas apenas levar doentes à diálise e a outros tratamentos”.

foto de um carro de bombeiros da Benedita
Bombeiros queixam-se que o transporte de doentes tem relegado o socorro para segundo plano. Foto: Bombeiros Voluntários da Benedita

A insatisfação com a direção levou a que 10 dos cerca de 20 voluntários não assalariados tenham, no final da assembleia, deposto os capacetes em frente ao quartel dos bombeiros, num protesto a que “vários bombeiros do quadro se quiseram juntar”, tendo, no entanto, sido desaconselhados a fazê-lo “uma vez que os seus postos de trabalho poderiam ficar em risco ou sofrerem retaliações”, explicou Dinis Coito.

Se a nova direção tomar posse, vários bombeiros não assalariados ameaçam passar à reserva, o que “colocará em risco a resposta e o socorro nas freguesias de Benedita e de Turquel”, acrescentou, admitindo que, “entre os assalariados, haja alguns que estão dispostos a sair e que recusam compactuar mais com esta situação.

Contactado pela Lusa, o comandante dos bombeiros da Benedita, António Paulo, disse que o comando “não vai tomar posição” em relação ao que considera ser “uma manifestação pacífica de desagrado” que espera ver “rapidamente resolvida para que não venham a existir dificuldades em suprir todas as necessidades do serviço”.

A Lusa tentou obter esclarecimentos por parte do novo presidente da Associação, Filipe Marques, com o qual não foi possível chegar à fala.

A candidata derrotada, Alice Lourenço, disse à Lusa que a lista B “vai reunir e avaliar se avança com um pedido de impugnação das eleições”, dado, “não ter sido facultado o acesso à lista dos sócios que votaram”, ficando assim impedida de confirmar se “alguns não cumpriam o requisito de estarem inscritos há mais de seis meses”, entre outras irregularidades que consideram ter havido na assembleia.

De acordo com a página da internet da associação, a corporação tem atualmente 120 Bombeiros Voluntários, 83 dos quais no Quadro Ativo.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.