Assinar


Ansião

Ameaçou matar a ex-companheira em mensagem enviada à filha de ambos

“Após a vítima ter deixado de residir com o arguido, este passou a persegui-la e a controlar os seus movimentos”

Um homem de 44 anos ficou sujeito a pulseira eletrónica, depois de ter sido detido por suspeita de perseguir e ameaçar de morte a ex-companheira, no concelho de Ansião.

Segunda revelou a Procuradoria da República da Comarca de Leiria na sexta-feira, dia 18, o juiz de instrução determinou ainda que o arguido aguardasse o desenrolar do processo sujeito às medidas de coação de proibição de contactar, por qualquer meio, com a vítima e de frequentar ou permanecer na residência dela, bem como no seu local de trabalho, mantendo uma distância mínima de 500 metros.

O homem será ainda sujeito, caso consinta, “a consultas destinadas a apurar se padece de problemas de psiquiatria/psicologia e de se submeter ao respetivo tratamento”.

Os factos terão ocorrido entre novembro de 2021 e março de 2022, no concelho de Ansião.

“Após a vítima ter deixado de residir com o arguido, com quem vivia em união de facto, este passou a persegui-la e a controlar os seus movimentos, ficando várias horas em frente à casa da mesma para esse efeito”, refere o MP.

Numa ocasião, “o arguido também ameaçou a vítima de morte, através de uma mensagem por telemóvel que enviou para a filha de ambos”.

A investigação é dirigida pelo Ministério Público da Unidade Local de Pombal do Departamento de Investigação e Ação Penal da Comarca de Leiria, com a coadjuvação do Núcleo de Investigação e de Apoio a Vítimas Específicas (NIAVE) do Comando Territorial de Leiria da GNR.

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é assinante, entre com a sua conta. Entrar