Assinar Edições Digitais

Culturismos: Zus seis vezes

Diz-se que muitos agentes e programadores culturais crescem a ter que evoluir na forma como levam a cabo as iniciativas que produzem, a reinventá-las, a ter, obrigatoriamente, que tentar algo novo, elaborado, que tenha uma marca distintiva e isso leva-os a olhar cada vez mais para o que se faz “lá fora”.

Hugo Ferreira hjferreira@gmail.com

Diz-se que muitos agentes e programadores culturais crescem a ter que evoluir na forma como levam a cabo as iniciativas que produzem, a reinventá-las, a ter, obrigatoriamente, que tentar algo novo, elaborado, que tenha uma marca distintiva e isso leva-os a olhar cada vez mais para o que se faz “lá fora”.

Esse “lá” onde há doutorandos a analisar o que se passa e críticos de artes a desenvolverem teorias muito bem escritas mas ininteligíveis ou desinteressantes para uma imensa maioria. Aquela que supostamente não quer saber de cultura, aquela que anda atarefada com o dia-a-dia do casa-trabalho.

Há alturas em que nada nos sabe melhor do que voltar às raízes e tentar descobrir o que é a cultura para os miúdos e para os adolescentes de hoje, o que também pode ser extremamente interessante na criação (ou desenvolvimento) de novos públicos culturais.

Foi também com esse objetivo que apareceram nos últimos anos os projetos ENSINA FADE IN e mais recentemente o ZUS! (a última palavra do dicionário, que significa Força!, Coragem!) e que partiu de um desafio em uníssono das três associações de estudantes de ensino secundário em Leiria à FADE IN, com a colaboração da Câmara Municipal.

Normalmente estes “regressos” desenvolvem-se sempre em três estágios; primeiro somos invadidos pelo entusiasmo, depois encaramos a sua execução com alguma apreensão e expectativa e no final ficamos absolutamente rendidos e apaixonados, descobrindo que há aqui ao lado um mundo novo de ideias a fervilhar a aguardar por uma oportunidade.

Saber que, apesar da internet, as bandas dos arredores de Leiria que compõem originais têm como sonho tocar na cidade e não conseguem, é assustador. E o ZUS! vai levar seis delas ao Castelo de Leiria no próximo dia 26 de maio, para confirmar que os miúdos destas escolas secundárias têm muito boas ideias e querem muito dar-nos música e fazê-lo bem.

(texto publicado na edição em papel de 11 de maio de 2012)