Select Page

É sexta-feira foge comigo: “O quotidiano”

Nas esplanadas debaixo ou fora dos arcos, conforme a escolha de cada um, a fauna era diversificada. Enquanto uns se lamentavam por naquele ano a empresa onde trabalhavam não lhes oferecer uma viagem exótica a uma qualquer morada frequentada pela banca à procura do melhor offshore, porque tinham acabado de despedir 50 pessoas e “era chato”, outros, daquela espécie que passa a vida a queixar-se mas que “graças a Deus” iam, mais uma vez (como todos os anos) ao Brasil “com muito sacrifício”, como faziam questão de reforçar. Outros ainda comentavam os assuntos das revistas à disposição no café, hermeticamente colocadas num suporte pregado à parede.

– Não há direito! – comentavam alguns convivas debruçados sobre o papel – Viram os outros que apareceram na televisão à porta a fazer greve, com a polícia a escorraça-los e um dos patrões a entrar tranquilamente de Jaguar? Parece que se ainda ia a rir! Ai se isto fosse um país de jeito!

– Chulos! – gritou um senhor de idade, para susto de todos os presentes que o julgavam a dormir profundamente encostado a um canto.

– E o combustível?

– Disse-me um primo meu, que é advogado, que eles aprovam a favor deles decretos-lei durante o Verão, que é quando o pessoal anda mais distraído.

– E depois vão gerir grandes empresas!

– Ladrões! – Insistiu o idoso com a voz a sumir-lhe.

– Não é de admirar que a economia ande toda de pantanas – disse um senhor que estava constantemente a contar as suas peripécias de emigrante – Vejam lá, que quando vivi em Frankfurt, costumava frequentar uma chocolataria ali nas traseiras do Banco Central Europeu. Um dia meti conversa com uma das empregadas que me disse que o cocktail com mais saída era o “chocolate body painting”! Aquilo basicamente consiste nisto: as secretárias besuntam-se de chocolate com um pincel e os altos executivos, os mesmos que decidem sobre o nosso dinheiro, lambem! Com a cabeça mergulhada nos atributos das secretárias, como podem eles tomar decisões acertadas sobre a nossa economia?

– Esse deve ser um emprego bestial! – disse de passagem um bancário entre dentes.

– Não há direito! – disse o senhor antes de voltar a fechar os olhos.

texto: Pedro Miguel
som: Beijo Negro
vídeo: a9))))

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Primeira Página

Publicidade

Pergunta da Semana

A carregar

A Câmara Municipal da Marinha Grande deve comprar as piscinas de São Pedro de Moel?

Obrigado pelo seu voto!
Já votou nesta pergunta!
Selecione uma das opções!

Newsletter Região de Leiria

app repórter no mundo

Share This