Assinar
Sociedade

Ex-militantes do PSD/Leiria criticam Comissão Política Nacional por não os ouvir

Cinco ex-militantes do PSD de Leiria, expulsos do partido por terem integrado outras listas nas eleições autárquicas, criticaram a Comissão Política Nacional (CPN) do partido por não os ter ouvido antes da decisão final

Cinco ex-militantes do PSD de Leiria, expulsos do partido por terem integrado outras listas nas eleições autárquicas, criticaram a Comissão Política Nacional (CPN) do partido por não os ter ouvido antes da decisão final.

Beatriz Vaz, uma das ex-militantes expulsas, que falou em nome da maioria dos 35 ex-membros, lamentou que o Conselho de Jurisdição Nacional se “limitasse a expulsar militantes, sem previamente ouvir os interessados ou as respectivas concelhias”.

O pedido de expulsão foi assinado por nove sociais democratas, que concorreram à Câmara de Leiria. Para estes ex-militantes, esta atitude foi um “acto de vingança por terem perdido as eleições”.

No comunicado lido aos jornalistas, a ex-militante apontou ainda algumas “situações duvidosas” que não terão sido analisadas pelo Conselho de Jurisdição Nacional.

“Uma das pessoas expulsas é um senhor chamado Manuel da Silva Oliveira, por ter concorrido pelo CDS-PP à Junta de Freguesia de Monte Redondo (…) Nem se deram ao trabalho de confirmar, que esse senhor não é militante e que o número que lhe é atribuído pertence a Manuel Silva e Oliveira, também de Monte Redondo, esse sim pertenceu às listas do PSD”, acrescentou.

Outra situação revelada foi a expulsão de outro militante que “nunca foi candidato a coisa nenhuma”. Depois de ter enviado uma carta à CPN do PSD, este membro foi readmitido.

Os ex-militantes afirmam ainda que foram expulsos do PSD porque “não quiseram continuar a colaborar com um executivo camarário fraco, desgastado, que só olhava aos seus próprios interesses”.

A saída dos ex-militantes do PSD prendeu-se com a recusa da CPN em aceitar José António Silva, presidente da Comissão Política Concelhia de Leiria, como candidato pelo PSD à Câmara de Leiria. “Nunca qualquer autoridade do PSD se dignou a perguntar o porquê de tanta saída de militantes em Leiria, de uma assentada só”, referem.

Beatriz Vaz lembrou ainda, à agência Lusa, as palavras de Manuela Ferreira Leite, presidente do PSD, quando divulgou que Isabel Damasceno era a candidata do PSD às eleições autárquicas: “prefiro perder votos que perder a minha dignidade, pois tenho perante mim a candidata vencedora”.

“Manuela Ferreira Leite não só perdeu votos, perdeu toda a credibilidade e também muitos militantes sempre dispostos a trabalhar em prol do PSD”, salientou, justificando a inclusão como independentes em listas de outros partidos como forma de “defender os interesses da cidade e das freguesias do concelho de Leiria”.

Os 35 militantes de Leiria expulsos pela direção nacional do PSD foram informados na semana passada. A maioria garante que se desfiliou antes de concorrer por outros partidos.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.