Assinar Edições Digitais
Mercado

CP perdeu 7,1 milhões em 2010 na Linha do Oeste

Cada passageiro que usa a Linha do Oeste, incluindo em Leiria, representa um prejuízo de 10 euros para a CP. No ano passado, o saldo negativo operacional ascendeu a 7,1 milhões de euros.

Cada passageiro que usa a Linha do Oeste, incluindo em Leiria, representa um prejuízo de 10 euros para a CP. No ano passado, o saldo negativo operacional ascendeu a 7,1 milhões de euros.

Foto de Joaquim Dâmaso
Foto de Joaquim Dâmaso

Cada passageiro que usa a Linha do Oeste representa um prejuízo de 10 euros para a CP. E cada circulação faz a empresa pública perder 689 euros. Os números fornecidos ao REGIÃO DE LEIRIA mostram que a política de desinvestimento praticamente liquidou a ferrovia no percurso entre a Figueira da Foz e Agualva-Cacém, cuja ligação ao TGV – na Barosa – é actualmente um sonho adiado.

Depois de duas décadas em que auto-estradas e outros projectos rodoviários recolheram a preferência de sucessivos governos, os 707 mil passageiros transportados em 2010 na Linha do Oeste estão muito longe de gerar os proveitos necessários para equilibrar financeiramente o serviço prestado às populações. O ano transacto chegou ao destino com um saldo negativo de 7,1 milhões de euros em resultados operacionais, piorando 19% o desempenho de 2009.

Leiria serve de exemplo ao abandono em que se encontra o caminho de ferro no litoral centro: em média, por cada dois comboios que param na estação da capital de distrito, sobem ou descem apenas nove pessoas.

Leia mais na edição em papel de 9 de Setembro de 2011.