Assinar Edições Digitais
Desporto

Kelly Slater defende título conquistado em 2010 e espreita 11º em Peniche

O norte-americano Kelly Slater, 10 vezes campeão do Mundo de surf, vai defender o título conquistado em 2010 no Rip Curl Pro Portugal, em Peniche, enquanto lidera o Circuito Mundial ASP na cavalgada para o 11.º ceptro.

O norte-americano Kelly Slater, 10 vezes campeão do Mundo de surf, vai defender o título conquistado em 2010 no Rip Curl Pro Portugal, em Peniche, enquanto lidera o Circuito Mundial ASP na cavalgada para o 11.º ceptro.

Após a inauguração vitoriosa da época de Slater na Gold Coast, seguiram-se as vitórias de Parkinson em Bells Beach, de Adriano de Souza no Rio de Janeiro e de Jordy Smith na África do Sul, fazendo prever um campeonato renhido.

No entanto, Slater nunca desarmou e segurou a liderança, com a vitória em Teahuppo e em Trestles, sendo apenas desfeiteado por Owen Wright em Nova Iorque.

O “mítico” surfista, de 39 anos, chega a Peniche com 50.150 pontos, mais 6.250 que o australiano Owen Wright, de 21 anos, ao qual ganhou duas das três finais que disputaram este ano. Os dois relegaram os favoritos Joel Parkinson, Adriano de Souza, Taj Burrow e Mick Fanning, campeão do Mundo em 2007 e 2009, para posições mais baixas.

Também o sul-africano Jordy Smith, finalista de etapa de Peniche e vice-campeão do Mundo em 2010, tem estado afastado dos primeiros lugares do “ranking” depois da ausência em duas provas devido a lesão.

Smith regressou no Quiksilver Pro France, eliminou Wright e chegou às meias-finais, tendo sido afastado pelo australiano Julian Wilson, que acabou por perder na final com o jovem prodígio brasileiro Gabriel Medina, “carrasco” de Slater nas águas francesas.

Peniche, palco da antepenúltima etapa do Circuito, já assistiu a um embate entre os dois surfistas, em 2009, quando Wright surpreendeu Slater, na última onda do nono “heat” da segunda ronda do Rip Curl Pro Search.

Na praia do Pico da Mota, o então “wildcard” Owen Wright protagonizou uma reviravolta, ao obter 7,73 pontos na nona investida, somando este registo aos 7,10 da sua segunda melhor onda e batendo os 14,36 (7,13 e 7,23) do norte-americano, que “apanhou” 13 ondas e abandonou a água a esboçar um festejo precipitado.

Já o português Tiago Pires, que tinha estabelecido como meta para 2011 terminar entre os 10 primeiros classificados do “ranking”, ocupa atualmente o 17.º posto da hierarquia, com 18.500 pontos.

A “elite” do surf Mundial cumpre, a partir de sábado e até 24 de outubro, a décima passagem por Portugal, pela terceira vez consecutiva em Peniche.

Lusa
Fotografia: asp@kristin