Assinar Edições Digitais
Sociedade

Câmara da Nazaré reclama apoios para apetrechar embarcações

A Câmara na Nazaré vai pedir ao Governo apoios para que cerca de 30 embarcações locais se possam apetrechar com sistemas de rádio-baliza e defende a sua obrigatoriedade para todas as embarcações

A Câmara na Nazaré vai pedir ao Governo apoios para que cerca de 30 embarcações locais se possam apetrechar com sistemas de rádio-baliza e defende a sua obrigatoriedade para todas as embarcações e balsas do país.

“Só na Nazaré há cerca de cerca de 30 embarcações que ainda não estão equipadas com este sistema de localização [rádio-baliza], mas é uma situação que existe em todo o país e é preciso resolvê-la”, disse hoje à Lusa o presidente da Câmara da Nazaré, Jorge Barroso.

A preocupação, “extensiva não só aos pescadores da Nazaré, mas a toda a comunidade piscatória nacional” levou o executivo municipal da Nazaré a aprovar por unanimidade uma proposta para que todas as embarcações e balsas sejam equipadas com rádio-baliza, um Sistema de Sinalização por GPS que permite a localização imediata dos barcos em dificuldades.

O documento propõe ainda a criação de apoios para a sua aquisição por parte de pequenos e médios empresários.

“É de extrema importância a instalação de um sistema eletrónico modelo rádio-baliza em todas as embarcações de pesca local e costeira, obrigatório independentemente do seu cumprimento, e ainda em todas as balsas”, refere a proposta que vai ser enviada à ministra da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território.

O documento, a que a Lusa teve acesso, surge na sequência do naufrágio da embarcação “Virgem do Sameiro”, a 29 de novembro, ao largo da Figueira da Foz, tendo em conta o facto de a tripulação só ter sido encontrada “passados três dias, por falta destes meios de salvamento”.

O acidente veio reavivar “a consciência” de que “existem muitas comunidades piscatórias que trabalham em zonas perigosas sem os respetivos meios imediatos de salvamento nem de socorro, havendo a necessidade premente de armar essas embarcações com o meios adequados”, pode ler-se no documento.

A “inconstância do mar”, justifica, segundo o presidente da Câmara, Jorge Barroso, que “todas as embarcações tenham dois equipamentos rádio-baliza”, um para o barco e outro para a balsa, já que “as condições marítimas e os ventos podem rapidamente afastar a balsa para longe do barco, e o sinal emitido não ser tão útil quanto devia nas operações de salvamento”.

Na proposta à ministra a Câmara da Nazaré defende igualmente que dadas as dificuldades económicas e financeiras das comunidades piscatórias, a aquisição dos dois rádio-baliza para cada embarcação seja “suportada fortemente” por fundos públicos.

Lusa