Assinar Edições Digitais
Cultura

Joel Correia: “Este momento é ideal para se pensar a cidade”

O Prémio Villa Portela é entregue hoje, 16 de Dezembro, no Centro Associativo de Leiria, a Joel da Costa Correia, pelo trabalho de “Leiria: A evolução do espaço urbano da cidade moderna (1926-1974)”, sobre a história urbana e arquitectónica de Leiria.

O Prémio Villa Portela é entregue hoje, 16 de Dezembro, no Centro Associativo de Leiria, a Joel da Costa Correia, pelo trabalho de “Leiria: A evolução do espaço urbano da cidade moderna (1926-1974)”, sobre a história urbana e arquitectónica de Leiria.

Instituído pelo investigador Ricardo Charters d’Azevedo, como forma de homenagear os seus antepassados que viveram na Villa Portela, e pela Associação para o Desenvolvimento de Leiria (Adlei), o prémio, no valor de dois mil euros, conta com a parceria da Câmara Municipal de Leiria, Instituto Politécnico de Leiria e editora Gradiva.

O júri do concurso considerou o estudo apresentado por Joel Correia como uma com “evidente carácter inovador e contribui para acrescentar conhecimento inédito e motivar novos estudos, tanto no âmbito da história local leiriense como ao nível nacional”.

O autor, residente em Cortes, Leiria, fala sobre o trabalho e o prémio em entrevista ao REGIÃO DE LEIRIA.

Como surgiu a ideia para “Leiria: A evolução do espaço urbano da cidade moderna (1926-1974)”?
Surge da necessidade de elaborar um trabalho de investigação que funciona como momento final do curso de Mestrado Integrado em Arquitectura que frequento. Desde início que fiz questão de centrar o meu objecto de estudo na cidade de Leiria. Fazia todo o sentido por ser a cidade onde cresci e cujas ruas me habituei a percorrer. O período temporal surge um pouco por acaso: já tinha algum interesse pela arquitectura modernista, depois, ao pesquisar obras escritas acerca deste momento da história da evolução do espaço urbano da cidade, descobri que existia muito pouca informação acerca disto. A intensa pesquisa nos arquivos municipais acabaria por levar à descoberta de uma interessante quantidade de cartografia e planos para Leiria, o que determinou a opção final pelo tema.

Joel Correia, vencedor do Prémio Villa Portela

O júri elogiou o carácter inovador do seu trabalho. Quais as principais novidades que resultaram da sua investigação sobre a história urbana e arquitectónica de Leiria naquele período?
Grande parte dos trabalhos que incidem sobre a evolução do espaço urbano de Leiria terminam a sua análise no século XIX ou início do século XX, como a obra de Ernesto Korrodi. No entanto, é a partir da segunda década deste século, com a urbanização da antiga cerca do Convento de Santana, que se inicia a expansão urbana que extravasa a malha medieval.
O concurso para o Plano de Melhoramentos e Modernização para a cidade de Leiria de 1926, com a apresentação de propostas por parte do arquitecto leiriense Fernando Santa-Rita e pelo arquitecto urbanista de renome nacional Luís Cristino da Silva, daria início a um interessante conjunto de várias propostas urbanas apresentadas para a cidade de Leiria.
Penso que este trabalho pode ser inovador pela análise da relação entre os vários planos, cartografia e arquitecturas, incidindo sobretudo em duas áreas que considero que, pela sua dinâmica social, económica e cultural, foram os “centros” da cidade moderna: o Bairro de Santana, envolvente à Avenida dos Combatentes da Grande Guerra e a Avenida Heróis de Angola.
Espero que este documento desperte o interesse por este tema e que possa servir de base à elaboração de novos estudos acerca da problemática do crescimento urbano. Este momento de crise económica e o consequente abrandamento da construção urbana é o tempo ideal para se pensar a cidade, e tal como refere arquitecto leiriense João Belo Rodeia num semanário da região, “quando se pensa a cidade numa perspectiva do seu devir, tem de se pensar na sua história, que gera uma identidade distinta das outras”.

Tem outros trabalhos anteriores realizados nesta área?
Este é o meu primeiro trabalho na área de investigação. Não me considero um historiador, sou apenas um estudante de arquitectura, e é com base nesta disciplina que faço a minha análise.

O que significa receber o Prémio Villa Portela?
É uma honra para mim ser o vencedor da primeira edição do Prémio Villa Portela. Sinto que é o reconhecer do longo caminho percorrido, a valorização do árduo e demorado trabalho de investigação. O processo nem sempre foi fácil, existiram alguns percalços e situações inesperadas, mas no final sinto que valeu a pena. Este prémio é também de todas as pessoas que me apoiaram e acreditaram em mim, dos incansáveis funcionários do arquivo municipal e das entidades que tornaram este trabalho possível.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.