Assinar Edições Digitais
Cantinho dos Bichos

Cadela procura dono à porta das urgências do hospital de Leiria

Foi com alguma surpresa que Roberto Martins, Kenny Casal e João Barbeiro, seguranças do Centro Hospitalar Leiria-Pombal, em Leiria, assistiram à presença “educada” de uma cadela à porta das urgências durante vários dias.

Foi com alguma surpresa que Roberto Martins, Kenny Casal e João Barbeiro, seguranças do Centro Hospitalar Leiria-Pombal, em Leiria, assistiram à presença “educada” de uma cadela à porta das urgências durante vários dias.

No passado dia 2 de janeiro, o animal, com cerca de três anos e bem tratado, sentou-se junto à porta de entrada e não arredou… pata.

A presença da cadela despertou curiosidade e durante uma semana, os seguranças alimentaram-na e improvisaram uma casota de cartão para ela se abrigar. “A cadela deve ter dono. Era bem-educada e sabia que não podia passar da porta para dentro”, refere Roberto Martins.

Durante a noite, a cadela, que foi batizada de “Fanny”, acompanhava o segurança na ronda ao hospital e, quando o jardineiro chegava de manhã, seguia-o pela relva e canteiros, regressando sempre ao local de partida – a entrada das urgências.

Maria dos Anjos, da Associação Zoófila de Leiria, recolheu o animal na última segunda-feira e espera que alguém o reconheça. “Não tem chip de identificação, nem coleira, mas está esterilizada. A “Fanny” está bem tratada, é muito meiga e está habituada a ir à rua. Não gosta de gatos e quando entrou no meu carro, sentou-se logo no banco de trás, o que quer dizer que está ensinada”, explica.

Quer a responsável da AZL, quer os seguranças do hospital julgam que o animal terá seguido o rasto do dono até à entrada das urgências e não saiu dali até que ele aparecesse. Contudo, como se desconhece a identidade do dono, o animal permaneceu por ali e não regressou a casa.

Maria dos Anjos deixa o apelo a quem  conhecer a cadela para entrar em contacto com a AZL (917 277 107). A “Fanny” está temporariamente na associação e caso o dono não apareça, poderá ser entregue para adoção.

Até ao momento, o animal ainda não foi procurado e continua à espera de um lar.

Marina Guerra
marina.guerra@regiaodeleiria.pt