Assinar Edições Digitais
Desporto

Leirienses cumprem etapa do Tour de France (fotogaleria)

Vítor, Nuno, Agostinho, José, Luís e Joaquim realizam amanhã, sábado, o percurso do Tour de France (Volta a França), entre Pau e Bagnères-de-Luchon.

Vão ser seis no meio de dez mil atletas. Vítor, Nuno, Agostinho, José, Luís e Joaquim realizam amanhã, sábado, o percurso do Tour de France (Volta a França), entre Pau e Bagnères-de-Luchon.

São 197 km, com direito a um sprint, nos Pirinéus, quatro subidas de montanha, duas de primeira categoria, e dez horas de viagem.

“O moral está em alta. Tudo o que podia ser feito já foi. Não vale a pena lamentar aquilo que não treinámos. Esperamos que ninguém se magoe e queremos terminar a etapa”, explica Nuno Neves, um dos participantes. O grupo viajou ontem, quinta-feira, para França para a cumprir o “sonho”.

Na realidade, os atletas amadores não vão competir na verdadeira Volta a França. Quatro dias antes da passagem nas estradas dos Pirinéus das grandes estrelas da companhia, que é como quem diz, dos atletas profissionais que compõem o pelotão do Tour (18 de julho), a organização da prova realiza o mesmo trajeto para 10 mil ciclistas, a maioria amadores ou semiprofissionais. O percurso é considerado como “a etapa rainha” na edição de 2012 e passa por dois montes míticos: Aubisque com 1.709 metros de altitude, e Tourmalet com 2.115 metros.

Mas pedalar não basta. Com, no mínimo, 10 horas de prova para cumprir, os atletas, quase todos com 40 ou mais anos, tiveram que perder algum peso, seguir uma alimentação nutrida e de absorção rápida e um treino adaptado. “Praticamos ciclismo há muitos anos e sabemos que uma boa hidratação e comer antes de ter fome são comportamentos a seguir. Se o fizermos, estão reunidas as condições para um bom desempenho”, considera Nuno Neves.

Cortada a meta, os leirienses vão permanecer na região de Bagnères-de-Luchon até quarta-feira, dia 18, data em que se cumpre a etapa do Tour e onde poderão ver os profissionais a competir no mesmo caminho que eles já cumpriram. “Nós demoramos, em média, 10 horas, eles demoram 6”, deixa, entre risos, Nuno Neves.

Marina Guerra
marina.guerra@regiaodeleiria.pt