Assinar Edições Digitais
Cantinho dos Bichos

Campanha difamatória contra o canil de Leiria pode chegar aos tribunais

Pela quarta vez desde outubro de 2010, um conjunto de imagens, com animais mortos e vítimas de maus tratos, alegava a prática de comportamentos negligentes no canil de Leiria. Autarquia pondera avançar para tribunal

Em média por mês, o canil municipal de Leiria recebe a visita de 100 pessoas interessadas em adotar animais, conhecer o espaço ou encontrar uma alternativa para o seu animal de estimação.

“Por não ter nada a esconder”, esta é a forma que a autarquia encontra para mostrar que não existem maus-tratos a animais no canil de Leiria. As visitas podem ser feitas durante a semana, entre as 9 horas e as 12h30 e entre as 13h30 e as 15 horas, sem que seja necessária marcação prévia.

A reação do executivo surge após uma campanha difamatória lançada nas redes sociais, no último fim de semana. Pela quarta vez desde outubro de 2010, um conjunto de imagens, com animais mortos e vítimas de maus tratos, alegava a prática de comportamentos negligentes no canil e apelava à divulgação junto dos órgãos de comunicação social locais. A página de facebook do REGIÃO DE LEIRIA chegou mesmo a ser entupida com mensagens.

“É de lamentar que se acredite em falsidades deste calibre, já desmentidas e explicadas em 2010 e 2011, e que continuem a divulgar sempre as mesmas fotografias, como sendo novidade”, informou a autarquia. Também a Associação Zóofila de Leiria condenou a divulgação “extemporânea” das fotografias e demarcou-se da “campanha”.

Num esclarecimento enviado à comunicação social, a autarquia revelou ainda que todos os animais presentes no canil “recebem tratamento médico-veterinário, são alimentados, vigiados e mantidos em boas condições de higiene, sob orientação do médico veterinário” até serem adotados. Nos casos em que o animal é de raça perigosa, está doente ou em sofrimento, é colocado numa cela isolada, até ser “abatido, num espaço próprio para o efeito, através do método homologado pela Direção Geral de Veterinária”.

Nos últimos dois anos, o canil municipal foi vistoriado em quatro ocasiões por diferentes entidades. Em todas, esclarece a nota, o assunto “foi minuciosamente inspecionado” e “em todos os relatórios elaborados ficaram evidentes as boas práticas e a preocupação com o bem-estar animal por parte dos funcionários” da Câmara.

Por ser uma situação “recorrente” e colocar em causa o “bom nome” do município, a autarquia pondera avançar “judicialmente contra os responsáveis por esta campanha difamatória”.

Marina Guerra
marina.guerra@regiaodeleiria.pt