Assinar Edições Digitais
Mercado

Clube motard prepara compra da vidreira Dâmaso em Vieira de Leiria

A centenária fábrica de vidros Dâmaso fechou na Vieira de Leiria há aproximadamente seis anos e meio. Mas surge agora uma esperança inesperada para aqueles 50 mil metros quadrados.

Álvaro Lobo nunca mais tinha regressado à entrada da fábrica. Guilherme Marcelino sempre que pode evita a estrada que passa à frente da empresa. Só Silvério Leal se atreveu a entrar. A primeira vez foi em 2011. Os três são ex-trabalhadores da vidreira Dâmaso, que fechou portas
em agosto de 2006.

Fernando Rolo, presidente do Motabout: “Só avançaremos se os sócios e a assembleia geral assim o entenderem” (fotografia: Joaquim Dâmaso)

Têm dinheiro a receber e olham com um misto de mágoa, tristeza e revolta para o estado de abandono a que foi votada a “casa”.

Se estivesse em atividade, celebraria 100 anos de existência. Foi a única indústria vidreira na freguesia de Vieira de Leiria e chegou a ser considerada a 10ª empresa mais produtiva do país.

No início de fevereiro assinalaram-se seis anos após o dia em que o administrador judicial informou os 250 trabalhadores que tinham de recorrer ao centro de emprego, para tratar dos respetivos subsídios. Tinha sido decretada a insolvência da Dâmaso.

Várias foram as propostas que, ao longo dos anos, foram apresentadas para dar continuidade à empresa. Investidores nacionais e estrangeiros, particulares e a própria autarquia. Nenhuma se concretizou.

Atualmente só existe uma que pode “salvar” os 50 mil metros quadrados da Dâmaso do total abandono. Trata-se de um grande grupo económico? Um empresário da região?

Nada disso. É o clube motard Moutabout, de Vieira de Leiria. Cansado de andar com a casa às costas, avançou em 2011 com uma proposta de 350 mil euros para aquisição do imóvel.

Quer para ali deslocar a sede do clube e ter um espaço para organizar as concentrações motards que todos os anos realiza em agosto.

Leia a reportagem na íntegra na edição de 31 de janeiro de 2013. Pode adquirir o jornal online aqui.

 

Marina Guerra
marina.guerra@regiaodeleiria.pt