Assinar Edições Digitais
Saúde

Nova Unidade de Saúde Familiar em Leiria abrange 11.200 utentes

Melhorar a qualidade e a prestação de cuidados de saúde aos 11.200 utentes que vão integrar a nova Unidade de Saúde Familiar (USF) de Leiria é o objetivo da 11ª estrutura do género a abrir no distrito de Leiria, que está em funcionamento desde segunda-feira, dia 2 de setembro.

cidade do lis-cor JD
Corpo clínico da USF será composto por seis médicos e seis enfermeiros (fotografia: Joaquim Dâmaso)

Melhorar a qualidade e a prestação de cuidados de saúde aos 11.200 utentes que vão integrar a nova Unidade de Saúde Familiar (USF) de Leiria é o objetivo da 11ª estrutura do género a abrir no distrito de Leiria, que está em funcionamento desde segunda-feira, dia 2 de setembro.

A USF Cidade do Lis, localizada no centro de saúde Gorjão Henriques, na cidade de Leiria, terá um corpo clínico composto por seis médicos e seis enfermeiros. À equipa juntam-se ainda quatro assistentes administrativos, número que aumentará para cinco quando a USF atingir o máximo da sua capacidade.

Satisfeito com as condições que encontrou, Fernando Leal da Costa, secretário de Estado adjunto do ministro da Saúde, enalteceu o trabalho feito na unidade, salientando que “o concelho está muito bem servido” no que respeita ao acesso aos serviços de saúde.

“O processo das USF não é estático. É parte fundamental da reforma dos cuidados primários e o maior ganho não é ter mais doentes, mas tratá-los melhor”, afirmou, desejando que a USF Cidade do Lis seja “mais um êxito como tantas outras”.

Ana Barros, até agora, clínica no centro de saúde Dr. Gorjão Henriques, passa a ser a coordenadora da unidade. “É o culminar de um projeto já longo, devido aos constrangimentos orçamentais, mas que vai ser motivador. Esta forma de trabalho vai permitir a melhoria dos cuidados de saúde”, disse, na cerimónia de inauguração, na passada terça-feira.

A nova USF está aberta de segunda a sexta-feira, entre as 8 e as 20 horas, e divide as instalações com o centro de saúde Dr. Gorjão Henriques, a consulta aberta e a USF D. Dinis. MG