Assinar Edições Digitais
Sociedade

De coração nas mãos, e muro feito, à espera da chuva

Desde 2009 que a história se repete. As chuvas trazem à estrada do Escandarão, em Atouguia, uma “onda” de areia que invade a casa de Armindo Rodrigues. Este ano construíu um muro

Desde 2009 que a história se repete. A chegada das chuvas traz à estrada principal do Escandarão, freguesia de Atouguia, Ourém, uma “onda” de areia que, no fundo da colina, invade a casa de Armindo Rodrigues.

Escandarão (5) novaNa origem do problema está a construção de uma pista de motocrosse no cimo da rua, em 2008. Aparentemente, os proprietários do terreno não salvaguardaram as condições para impedir que as areias não sejam arrastadas pela chuva monte abaixo.

Assim, sempre que chove, Armindo Rodrigues, de coração nas mãos, tenta evitar o pior. No início de outubro levantou um pequeno muro para reter as areias e espera que a chuva passe.

O REGIÃO DE LEIRIA encontrou-o, na última quinta-feira à tarde, dia 24, na varanda de sua casa, vigiando a colina, à espera da chuva.

Na Páscoa, lembra, um almoço teve que ser cancelado porque ficou com a casa inundada. Há cerca de duas semanas foi graças a uma pequena barreira feita com taipais que conseguiu salvaguardar a moradia. “Esta noite levantei-me cinco vezes por causa da chuva”, refere este emigrante que, já por três vezes, teve a casa invadida por areia.

Este ano o terreno onde se encontra a pista de motocrosse foi limpo e foram construídos muros de areia, mas a solução não convence Armindo Rodrigues, que afirma ser necessário mais investimento para resolver a situação. Desde 2009 que pede soluções ao município e ao dono da pista, mas sem resultados.

Desiludido, afirma que pensa construir um muro de betão, fechar a moradia de 38 anos e voltar para França. “Não tem sentido, andar aqui a sofrer desta maneira”, lamenta.

O REGIÃO DE LEIRIA entrou em contacto com os proprietários da pista que se encontram a desenvolver obras no local, por uma empresa certificada, para que os problemas provocados pela pista fiquem resolvidos.

Cláudia Gameiro
claudia.gameiro@regiaodeleiria.pt