Assinar
Oxigénio

Globonautas: dois anos na estrada, 15 países e 20 mil km

Joana Oliveira e Nuno Pedrosa têm refinado a arte de saborear a vida, num projeto a dois, apostando em partilhar uma grande aventura. O desafio arrancou há dois anos, na Nova Zelândia

Joana Oliveira e Nuno Pedrosa estão em Yazd, Irão. É o 15º país que a dupla de ciclistas de Leiria visita, na viagem iniciada em 2012.

Passados 730 dias  de viagem, 15 países e 20.095 km percorridos, Joana e Nuno apresentam um breve resumo do percurso através de um mapa interativo.

Recentemente, o REGIÃO DE LEIRIA falou com eles sobre a forma como olham para o ano de 2014 e as dificuldades que enfrentam. Foi este o resultado:

“Joana Oliveira e Nuno Pedrosa têm refinado a arte de saborear a vida, num verdadeiro projeto a dois, apostando em partilhar uma grande aventura. Têm-se um ao outro, literalmente, no desafio que arrancou em janeiro de 2012 na Nova Zelândia e que passa por pedalar mundo fora até chegar a Leiria.
O Natal foi passado no Irão. Quando se espera que um planeta inteiro passe por debaixo dos pedais de uma bicicleta, é natural que o bom humor seja o sistema métrico mais “utilizado”: “Quase que já se consegue ver o castelo daqui! Já faltou mais”, brincam numa das respostas via Facebook, enviadas da terra dos ayatollah.
1073335_559687767406271_256575445_oDir-se-ia que vivem a vida em contramão. “É um ‘máximo’ feito de ‘mínimos’, ou seja, quando viajamos vivemos uma vida simples, com o essencial, que já é bastante, de comida, roupa, abrigo… É o espaço criado por essa simplicidade que nos permite viver a vida ao ‘máximo’, desfrutando das coisas que verdadeiramente importam – como o contacto com as pessoas e com o que nos rodeia”. Lá para o final do verão, a viagem chega ao fim e começa outra: encontrar emprego, estabilizar as finanças, dormir debaixo do mesmo teto todos os dias. Mas, “com tanto quilómetro nas pernas, se há coisa que já aprendemos é que é totalmente inútil preocuparmo-nos com o futuro”. O essencial é, sim, “sonhar com ele, mas nunca à custa de negligenciar o bom do que se está a viver no presente”. Soa-lhe a familiar?”

O projeto Globonautas é atualizado através da página de internet e no facebook. Além de pequenos relatos da aventura, os autores publicam também fotografias e apresentações sobre a viagem. Pode acompanhar tudo em Globonautas.

(Leia o trabalho na íntegra na edição de 2 de janeiro de 2014)

 

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.