Assinar
Sociedade

SMAS lançam alerta contra burlas na venda de filtros de água

Se alguém lhe telefonar identificando-se como sendo dos Serviços Municipalizados de Água e Saneamento (SMAS) de Leiria ou da DECO e pedir para analisar a água que sai da sua torneira, desconfie.

Se alguém lhe telefonar identificando-se como sendo dos Serviços Municipalizados de Água e Saneamento (SMAS) de Leiria ou da DECO e pedir para analisar a água que sai da sua torneira, desconfie.

agua-torneiraO alerta é lançado pela administração dos SMAS que têm registado um aumento de queixas e casos de burla, alegadamente cometidos por empresas que vendem purificadores de água. Em outubro do ano passado, foi apresentada uma queixa-crime contra uma empresa que, “mesmo assim, continua com os mesmos procedimentos”, acrescenta.

Ricardo Santos, vereador e vogal do conselho de administração dos SMAS, adianta ainda que os serviços procedem ao controlo de qualidade da água na torneira do consumidor mas “não o solicitam através de contacto telefónico”.

Quanto às demonstrações feitas por aquelas empresas, muitas vezes através de eletrólise da água, visam “levar o consumidor a acreditar que a água da rede pública tem má qualidade”, denunciam os SMAS.

“Os utilizadores menos informados acabam por aceitar uma análise gratuita à qualidade da água na sua habitação uma vez que uma simples análise microbiológica custa cerca de 20 euros” mas “acabam por ser enganados” devido à interpretação “deturpada dos resultados”.

(Notícia publicada na edição de 26 de junho de 2014)

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.


Secção de comentários

  • João Mota disse:

    Esta noticia levanta-me algumas interrogações…
    Esta grande campanha que tem sido levada a cabo contra os purificadores de água entra em contradição com o que diz a Ministério da Saúde através da Administração Regional de Saúde do Norte – I. P. e o Decreto-Lei n.º 306/2001, de 27 de Agosto.
    Na verdade a tabela de parâmetros da água para consumo humano, além de considerar o CLORO como cancerígeno através dos trialometanos identifica na mesma como método de correcção de águas contaminadas, a filtragem, a osmose, o carvão activado, não entendo com que "interesses" podem contrariar tal documento reconhecido por quem mais entende de saúde?!
    Ver Tabela Paramétrica:
    http://portal.arsnorte.min-saude.pt/portal/page/p

Deixar um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos relacionados

Subscreva!

Newsletters RL

Saber mais

Ao subscrever está a indicar que leu e compreendeu a nossa Política de Privacidade e Termos de uso.

Artigos de opinião relacionados