Select Page

Arbitragem: Primeira de Fábio será a última de Olegário

Arbitragem: Primeira de Fábio será a última de Olegário

Têm o apito e os cartões na mão e são eles que, em última instância, tomam as decisões do jogo. No entanto, a profissionalização é um objetivo que ainda parece longe de atingir na arbitragem em Portugal. O assunto foi o tema quente do encontro de preparação da próxima época que, no passado fim de semana, aconteceu em Tomar. Sem grandes avanços ou recuos, a conciliar a vida profissional com a arte de apitar parece o cenário mais provável para os árbitros nacionais em 2014/2015.

Fábio Veríssimo (ao centro)

Fábio Veríssimo será um dos que vai ter que coordenar a sua agenda com mais afinco nesta época. O árbitro natural de Peniche atingiu a 1ª categoria – o nível mais elevado na arbitragem nacional – e está no lote dos 23 principais juízes indicados pela Federação Portuguesa de Futebol para apitar os jogos da época 2014/2015. Neste grupo figura também o nome de Olegário Benquerença, presença habitual desde 2001. Os dois representam Leiria no topo da arbitragem em Portugal.

“Trabalhei de uma forma muito dedicada e ‘profissional’, encarando cada jogo como uma final. As coisas foram correndo bem e encarei esta ascensão com naturalidade”, conta ao REGIÃO DE LEIRIA o recém promovido, que decidiu tirar o curso de árbitro depois de sofrer uma lesão enquanto jogador júnior do GD Peniche.

Contudo, a primeira vez não se esquece e o jogo da Taça da Liga Trofense – Beira-Mar foi marcante. “Foi um momento único”, lembra, acalentando o sonho de, um dia, arbitrar a final da Taça de Portugal. Depois, a seu tempo, defende, virá a oportunidade de direcionar baterias para o estrangeiro e apitar competições internacionais.

olegario benquerença

Olegário Benquerença

E se esta é a primeira época de Fábio Veríssimo como árbitro de 1ª categoria, será também a última de Olegário Benquerença. O árbitro internacional tem 44 anos e está impedido pelos regulamentos de continuar a arbitrar depois dos 45.

Com uma vasta experiência nacional e internacional, o percurso de Olegário é, para Fábio, “uma referência de sabedoria, humildade e vontade de ajudar os jovens árbitros”.

A presença dos dois juízes na próxima época é, para o dirigente da AFLeiria, exemplo de que Leiria consegue cumprir as bases para dar continuidade à arbitragem. E outros exemplos estão a caminho: Sandro Soares, Fábio Piló, António Nobre e Luís Dionísio são apenas alguns nomes.

(Leia o trabalho na íntegra na edição de 24 de julho de 2014)

Marina Guerra
marina.guerra@regiaodeleiria.pt

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Primeira Página

Publicidade

Pergunta da Semana

A carregar

As autarquias deveriam aplicar coimas aos feirantes pelo lixo deixado no recinto dos mercados de rua?

Obrigado pelo seu voto!
Já votou nesta pergunta!
Selecione uma das opções!

Publicidade

Newsletter Região de Leiria

app repórter no mundo