A zona da Lagoa da Ervedeira, na freguesia do Coimbrão, não escapou ao fogo de 15 de oububro  Foto: Joaquim Dâmaso

“Melhor vida com Lagoa despoluída” é o mote para uma ação de limpeza de resíduos sólidos na envolvente da lagoa. A iniciativa, promovida pelo Grupo de Amigos da Lagoa de Ervedeira (GALE), realiza-se este sábado, dia 28, a partir das 15 horas.

A ideia passa por recolher garrafas de vidro, plásticos, latas, pregos e madeiras queimadas, que sobraram do incêndio que lavrou na Mata do Pedrógão nos dias 15 e 16 de outubro.

Os voluntários são convidados a munir-se de luvas e material para apanhar os resíduos, como ancinhos, enxadas e ímanes.

A posterior remoção e transporte dos resíduos para o aterro adequado ficará a cargo da Câmara de Leiria.

Virgílio Cruz, porta-voz do GALE, adianta ao REGIÃO DE LEIRIA que esta ação popular se segue a outra realizada no passado domingo, em que foi retirado alguns vidros, plásticos, latas e alguma madeira.

Madeira pouco sobrou, tais as temperaturas elevadas provocadas pelo fogo, acrescentou o responsável, que se afirma preocupado com as cinzas e com a infiltração do “pó químico que é injetado nas madeiras tratadas” e que, “a curto prazo, poderão trazer contaminar a pouca água que existe na lagoa”.

“Sempre alertei diversas entidades que tínhamos aqui um grande barril de pólvora devido ao excesso de vegetação e para o perigo iminente de arde”, acrescenta Virgílio Cruz, afirmando que o GALE nunca foi autorizado a fazer uma “limpeza controlada”.

“Nunca nos permitiram retirar canas, silvas e ervas invasoras de forma voluntária e, de um momento para o outro, ficamos sem ecossistema e não sei como as entidades competentes irão fazer para o renovar”, sublinha.

“Sabemos que a própria natureza o fará mas vai demorar”, admite, que vê “com pena” a perda de “uma grande pérola”.

Mais informações sobre esta ação podem ser obtidas através do número de telefone 912 836 374.

MR