Select Page

Pedro Santos de Oliveira

Pedro Santos de Oliveira

Publicitário

 

poliveira@sistema4.pt

 

Lobo Frontal: Paletes de paletes

Jan 26, 2018 | Notícias, Opinião | 0 comentários

 

Sou abordado, com frequência, no sentido de se saber de onde é que vem a minha fixação por paletes. Adianto que não se trata de uma fixação, nem de uma obsessão, acho que é uma forma que encontrei para dar continuidade à minha paixão infantil pela lógica orgânica da Lego, pois passei mais tempo a brincar com esses blocos de plástico, criados na Dinamarca, em 1936, do que com qualquer outro brinquedo.

Esta ligação às paletes é bem mais recente e foi fruto do acaso. Começou com a necessidade de erguer um objecto de grandes dimensões, se possível oval, junto da entrada do Mercado de Sant’Ana, em Leiria, por ocasião do I Festival do Ovo. A ideia era fazer uma instalação com forte impacto visual, que pudesse, pela sua dimensão, dificuldade e originalidade, atrair mais visitantes para aquele certame.

Foram sugeridos e considerados alguns materiais para a sua construção, como fibra de vidro, metal e até vinil, mas, para além dos custos associados, nenhum deles teria um processo de reciclagem ou reutilização simples e directo. Até que surgiu a possibilidade de utilizar as paletes das empresas produtoras de ovos, mas logo se percebeu que juntar paletes dispensáveis de diversas empresas era tarefa quase impossível.

Mas a ideia ficou. Tanto ficou, que decidi procurar o fabricante de paletes mais próximo de Leiria. O Google indicou-me vários, mas foi a Martos, das Colmeias, que decidi contactar primeiro, pois era a que tinha mais comentários e uma classificação de recomendação de cinco estrelas. Não podia ter batido a melhor porta. Foi logo no primeiro telefonema com o seu administrador, Leonel Marto, que tudo ficou decidido. Não só houve abertura para a cedência gratuita em regime de empréstimo das paletes necessárias, como ainda foi oferecido apoio técnico e transporte. Tudo, a troco da possibilidade de ficar ligado ao projecto e daí poder tirar dividendos de imagem e publicidade.

A instalação, em forma de ovo, com seis metros de altura por cinco de diâmetro, foi um sucesso, e acredito que Leiria nunca mais olhou para as paletes da mesma maneira. O enquadramento foi perfeito. Uma instalação temática original, construída com pouco investimento, com materiais totalmente reutilizáveis e, ainda por cima, tendo por base a madeira de pinho, por ventura a matéria prima natural com maior tradição e ligação à região.

Não tardou até que o Município de Leiria, num registo informal, através do seu vice-presidente, Gonçalo Lopes, lançasse o desafio para a possibilidade de uma instalação natalícia, construída com paletes. Desafio aceite e, mais uma vez, com a indispensável ajuda técnica do engenheiro Bruno Maciel.

O projecto consistia numa instalação em forma de árvore de Natal com onze metros de altura e mil e duzentas paletes, bem no centro da cidade. Mais uma vez, a Martos emprestou as paletes, e no mesmo registo juntou-se a MS Cariano, que emprestou os meios de elevação. Foi uma instalação com a sua dose de polémica, mas que teve um elevado nível de notoriedade.

No ano seguinte, pela altura do Natal, com as mesmas parcerias, foi construída a Vela de Natal, com mil e quatrocentas paletes e catorze metros de altura. Mais tarde, A Porta, com novecentas paletes e nove metros de altura, uma instalação que assinalou o festival de rua mais criativo de Leiria.

Recentemente, foi a Casa do Pai Natal, com oitocentas paletes, que deu alma à época festiva na praça mais emblemática do centro histórico. Pelo meio, ainda houve lugar para diversos projectos mais pequenos, como o Festival da Cerveja Artesanal, diverso mobiliário interior e exterior e outras instalações específicas num plano mais comercial.

Posso afirmar que a ligação improvável a este equipamento básico da logística, através dos projectos realizados e da forma sustentável como vem sendo desenvolvida, acumulou notoriedade para todas as entidades envolvidas e tornou-se um caso de popularidade da própria cidade.

Nota: Lobo Frontal é um espaço de opinião que partilha perspectivas pessoais acumuladas nestes mais de vinte e cinco anos de projectos de comunicação e marketing. 

O autor escreve ao abrigo do antigo acordo ortográfico.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Siga-nos

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Primeira Página

Pergunta da semana

A carregar

Concorda com a construção de um novo tribunal na antiga casa dos magistrados, na avenida Marquês de Pombal, em Leiria?

Obrigado pelo seu voto!
Já votou nesta pergunta!
Selecione uma das opções!

Semana de Moldes 2018

Share This