Assinar
Sociedade

“Ponto negro” da arquitetura de Leiria vai desaparecer

O Mercado Municipal de Leiria vai ser alvo de requalificação. O projeto deverá ser conhecido dentro de dois meses e o resultado será um edifício com mercado, restauração, espaços comerciais e uma área destinada ao empreendedorismo.

Dentro de dois meses deverá ser conhecido o projeto de requalificação do Mercado Municipal de Leiria. Gonçalo Lopes, vereador e vice-presidente da Câmara, adiantou ao REGIÃO DE LEIRIA que, neste momento, estão a ser recolhidos os pareceres técnicos das várias entidades, prevendo-se que “antes do verão seja aprovado o projeto e se abra o respetivo concurso de obra”.

Reclamada há anos por comerciantes e clientes, a intervenção que está a ser desenhada para o edifício fará dele mais do que um mercado. No piso inferior vão ficar situados os frescos, enquanto que no piso superior será instalada a Start Up Leiria, um espaço destinado a estimular o empreendedorismo. Os acessos serão independentes. “A exemplo do que acontece com o Second Home, em Lisboa, que também tem um ambiente de coworking, parece-nos uma ligação apropriada, uma vez que está no centro da cidade, e interessante quer para quem quer instalar uma empresa, quer para a própria dinâmica do mercado”. O vereador defende que “estes mercados, para terem sustentabilidade, têm de ter novos clientes e os novos clientes passam muito pela juventude”.

A requalificação do mercado vai atribuir-lhe uma nova roupagem. As paredes não serão demolidas e não haverá alterações em termos de volumetria, mas o que hoje é “um edifício antigo, cinzento, que representa um ponto negro na arquitetura local”, vai desaparecer. O revestimento será diferente “e toda a parte interior será profundamente remodelada, para garantir total conforto, acessibilidade e higiene que é aquilo que é reclamado quer para os operadores quer para os clientes”.

Depois disto, acredita Gonçalo Lopes, mais pessoas vão passar a frequentar o mercado, atraídas por espaços-âncora como a Start Up Leiria, zonas relacionadas com restauração e outros espaços comerciais.

No decurso dos trabalhos de requalificação, os comerciantes não serão deslocados para outro espaço da cidade. “A obra vai ter que conviver com as operações comerciais no mercado e isso está a ser planeado”, adiantou.

Relativamente à previsão do prazo de obra e ao montante a ser despendido pela Câmara de Leiria, são pontos que ainda estão a ser objeto de cálculo, referiu Gonçalo Lopes, acrescentando que se encontram em estudo mecanismos financeiros que possam dar apoio a este investimento que será 100% municipal.

Patrícia Duarte
Jornalista
patricia.duarte@regiaodeleiria.pt

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.