Assinar Edições Digitais

Vendidas 41 mil árvores queimadas do Pinhal de Leiria

O Estado conseguiu alienar esta quinta-feira, em Viseu, naquele que foi o segundo leilão do ano de madeira queimada dos incêndios de 2017, cerca de 41 mil árvores do Pinhal de Leiria.

Leilão decorreu esta manhã nas instalações do Instituto Português da Juventude em Viseu Foto: Igor Ferreira

O Estado conseguiu alienar esta quinta-feira, em Viseu, naquele que foi o segundo leilão do ano de madeira queimada dos incêndios de 2017, cerca de 41 mil árvores do Pinhal de Leiria.

Dos 15 lotes colocados à venda da mata nacional plantada pelo rei D. Dinis, apenas seis foram comprados. O que mais dinheiro deu a ganhar à tutela tinha mais de 9600 pinheiros e rendeu 450 mil euros, sendo que a base de licitação era de 295 mil euros.

Na mata nacional leiriense foi ainda alienada uma parcela com cerca de 7.700 árvores por 412 mil euros, com uma base de licitação de 412 mil.

O lote com o maior número de pinheiros (mais de 57 mil) ficou, no entanto, por comprar. O Estado pedia 143 mil euros.

A venda da lenha do Pinhal de Leiria rendeu 1 milhão 590 mil euros, sendo que a tutela esperava conseguir 2 milhões 256 mil. Estes eram “os lotes mais valiosos e com a madeira com mais qualidade”.

No total, em toda a região Centro, foram colocados em leilão 114 lotes, com mais de 1 milhão de árvores, dos quais 52 acabaram vendidos. Com este negócio, a tutela juntou 2 milhões 850 mil euros, dos 4,4 milhões esperados.

Ricardo Ferreira